Dicas do Uruguai – Balanço geral: Transporte

Outro dia, em uma caixa de comentários aqui no blog, o Rodrigo Purisch me perguntou se eu faria um balanço geral da viagem, avaliando, entre outros itens, a organização do roteiro, distribuição dos dias pelos destinos e tal. Eu disse que pretendia fazer não apenas uma reavaliação do roteiro, mas, inclusive, dar uma geral no orçamento da viagem. Acabei demorando um pouquinho mais do que pretendia a princípio, e, em vista do tempo escasso, vou ter que dividir o balanço em capítulos, mas aqui vai! Espero que seja útil, não apenas ao Rodrigo, mas a todos que quiserem planejar uma visita ao nosso vizinho… 🙂

1. Passagem aérea

Como o objetivo era viajar para Uruguai e Argentina, o mais sensato, sem dúvida, teria sido chegar por Montevidéu e voltar por Buenos Aires, ou vice-versa. Infelizmente, na prática essa opção se revelou pouco viável – essa open jaw elevou muito o custo do bilhete e achei mais válido escolher uma das duas cidades como ponto tanto de chegada quanto de partida. Por conta dos horários, escolhi o vôo da Gol para Buenos Aires que partia do Rio de manhã cedinho, e a tarifa foi bem em conta: pouco menos de R$ 350,00 cada trecho, mais a taxa de embarque. Não custa lembrar que a taxa de embarque do aeroporto de Ezeiza não vem somada ao valor da passagem, mas é paga no próprio aeroporto, após o check-in. O valor é o equivalente a US$ 18, em espécie (dólares, euros ou pesos argentinos) ou no cartão de crédito.

2. Catamarãs

Uma vez definido que chegaríamos por Buenos Aires, escolhemos seguir para o Uruguai de catamarã, o meio de transporte mais comum entre as duas cidades. A Buquebus faz a travessia de Buenos Aires em direção a Colonia del Sacramento ou a Montevidéu – e, em ambos os casos, oferece a continuação da viagem até Punta del Este de ônibus. A viagem não é exatamente barata – a travessia Buenos Aires / Montevidéu no catamarã direto custa cerca de US$ 60 e a volta, a partir de Colonia, cerca de US$ 35 no barco rápido. Mas há tempos eu tinha vontade de fazer essa travessia do Rio da Prata e acho que foi uma experiência válida. No site da Buquebus é fácil investigar outras possibilidades, com barcos mais lentos e/ou integração com ônibus, que tornam a viagem mais em conta.

3. Aluguel de carro

Decidimos alugar um carro para o trecho Punta del Este da viagem e foi uma decisão mais do que acertada, embora o preço do aluguel seja meio alto. Punta é mais bem aproveitada de carro – o transporte público é bastante deficiente e os táxis são bem caros. No nosso caso, pegamos o carro no porto de Montevidéu e combinamos que iriam buscá-lo no hotel, 3 dias depois, na volta de Punta – sem custo adicional, claro… 😉 O melhor orçamento foi apresentado pela Dollar Uruguay, que cotou a diária de um Fiat Siena a US$ 92 com o seguro total incluído. Dá para baixar esse valor optando por um carro menor, mas como éramos um grupo de 4 pessoas, essa opção não valia para nós… O preço do combustível estava apenas um pouquinho acima do que aqui no Rio de Janeiro – caro, mas não muito fora dos nossos padrões. Escolhi pegar o carro em Montevidéu porque queria aproveitar a viagem para visitar um ou outro balneário no caminho. Também é viável seguir viagem direto para Punta e pegar o carro apenas ao chegar lá – a própria Dollar tem uma filial na cidade, e há inúmeras outras.

4. Táxis

Uma vez de volta em Montevidéu, passamos a andar de táxi. São praticamente tão em conta quanto os táxis argentinos, e beeeeeem mais baratos do que no Brasil. Por exemplo, uma corrida do Parque Rodó ao Mercado del Puerto, cerca de 10-15 minutos, saiu a $U 88 (pesos uruguaios), equivalente a pouco menos de R$ 8,80 (o câmbio do real era $U10,70 quando eu estava lá – agora não sei mais a quantas anda…)

5. Ônibus

Dessa vez não experimentei os ônibus urbanos, apenas viajei de ônibus de Montevidéu a Colonia. Foi outra escolha acertada, não apenas porque a viagem foi baratíssima (o equivalente a cerca de R$ 16,00 por 2 h e meia de viagem), mas porque carros não são mesmo necessários em Colonia, desde que se esteja hospedado em um hotel bem localizado, no bairro histórico ou bem perto dele.

No próximo post, vou dar uma geral no quesito acomodação. Vai ser em breve, espero… 😉

27 thoughts on “Dicas do Uruguai – Balanço geral: Transporte

  1. Achei muito boa a sua idéia de balanço geral da viagem!!!! Bacana. Estou tão ausente dos blogs amigos. TEnho ralado muito ultimamente, finalmente consegui atualizar o meu próprio blog hoje e agora estou dando uma esticadinha para tomar um café com os amigos aqui…. Deixa eu dar mais uma olhada no que vc anda escrevendo aqui. Um abraço, Jorge

  2. Apareça quando der, Jorge! Às vezes a vida fica corrida mesmo, é difícil dar conta de tudo – e é preciso separar aquele tempo sagrado pra curtir a princesinha, né? 😉

  3. Show Carlota!!!

    Muito legal esse “passado à limpo”. Ah, e antes que eu me esqueça, valeu pelo comment queridíssimo lá no blog, hehehe. Tu és um amor, e depois da minha mãe e da mãe do Diego, a nossa maior fã! 😀
    Bjos, Diogo.

  4. Carla, estou acompanhando tudo e salvando, pretendo fazer esse roteiro no carnaval 2008. Estou de olho na viagem Bolívia/Peru, faz parte das minhas lacunas. Aprecio as pessoas como você, que fazem do seu jeito, também sou adepta de planejar e me virar, assim o roteiro fica mais econômico e rende mais. Parabéns…

  5. Rosa, agora que já estou aprendendo o caminho das pedras blogueiro, a viagem Bolívia-Peru vai ser mais bem documentada do que essa… 😉

  6. Legal o relatório. Também estou meio ausente dos blogs… férias 🙂 E agora soube que bloquearam wordpress no meu trabalho também, além das outras plataformas de blog 🙁 Faz parte…

  7. Tá vindo mais por aí, Rodrigo!

    É, Arthur, as férias têm que ser aproveitadas!!! Que pena esse bloqueio da WordPress no trabalho… Sempre acho que um pouco de diversão ajuda a trabalhar melhor, e não o contrário… 😉

  8. Parabéns pelo BLOG. Estou lendo suas dicas e adicionando aos meus favoritos. Vou viajar ao Uruguai em julho com minha esposa para comemorar 1 ano de casado e tenho certeza que suas dicas serão valiosas.

    Um abraço
    Luiz

  9. Planejo ir ao Sul do Brasil, e Uruguai em Dezembro de carro. Alguma dica especial ?

  10. Nunca fui até o Uruguai de carro, não… Mas já me disseram que vale visitar Cabo Polonio, que é uma região muito bonita e ainda bem rústica.

    Luiz, a empresa de ônibus que liga Montevidéu a Colonia é a COT. Não tenho o telefone deles, mas você não deve ter dificuldades para encontrar no site do Terminal Tres Cruces: http://www.trescruces.com.uy

  11. Carla, tudo bem?

    O seu blog é muito bom e extremamente útil.

    Duas dúvidas:

    1. vc tem algo a falar do Ibis em Montevideo, especialmente quanto a localização?

    2. é possível fazer o trajeto Montevideo/Colonia de barco? é necessário reservar com antecedência o buquebus para buenos aires?

    Obrigada e grande abraço.

  12. Ja, eu particularmente não gosto da localização do Ibis, não… Me parece que ele fica no meio do nada, sabe? Não é no centro, mas também não é na melhor região das Ramblas, onde você tem restaurantes, bares, shoppings, as melhores praias… Ficando no Ibis você vai depender de táxi o tempo inteiro – não que saia caro, mas é bem chato, né?

    Em relação ao trajeto Montevideo / Colonia de barco, o que sei te dizer é que a Buquebus não faz… Não sei se haveria outra companhia… Tenta descobrir no Google alguma agência de viagens em Montevidéu, e eles vão saber te informar melhor!

  13. Pra atualizar os transportes, reservar aluguel de carro e sempre um mico, as vezes voce chega la tem locadoras com preco menor e carros melhores…

    Mas dessa vez quase me ferrei ! A Dollar e a Localiza nao tem loja no aeroporto, e no domingo nem os telefones respondem…. por sorte a que tem o melhor preco e a AVIS que fica no Aeroporto, e otimo servico, rapidos…

    Entao sugiro consultar e reservar daqui , com a AVIS ou DOLLAR as outras do aeroporto sao sem noção chegaram a me pedir mais de 1000 dolares por uma semana de S10…

  14. Discordo de você, Blue. Acho que reservar seja o que for nunca é um mico.

    Você pode até economizar alguns tostões deixando para resolver aluguel de carro ou hospedagem no destino, mas é preciso saber que corre o risco de chegar ao local e não encontrar o que deseja. A menos que você tenha um bom plano B, isso vira um balde de água fria nos seus planos de viagem. No meu caso, então, como precisávamos de um carro específico para dar conta do número de pessoas com bagagem, não dava pra contar com a sorte – a solução é pesquisar e pechinchar muito antes de fazer a reserva, mas fazê-la, sim!

  15. “Adorei as dicas !”, eu fui até Buenos Aires de carro, percorrendo a costa uruguaia. No Uruguai eu recomendo Punta del Diablo e La Paloma, entre os destinos menos famosos, além de uma visita à Fortaleza de Santa Tereza, 30 km após o Chuí. Cabo Polônio eu não conheci, mas ouvi falar bastante. E Colônia eu acho que é absolutamente imperdível, pra mim foi o ponto alto da viagem. Estou postando essa viagem no meu blog e qualquer dúvida é só perguntar!

  16. Eu nao disse que vinha?

    Sobre o servico Buquebus, acha ser necessario comprar com antecedencia.

    Consultei o site e verifiquei que o preço no “corujão” eh praticamente a metade do preço. Pegunto… compensa? A paisagem durante a viagem é bacana para se ver de dia?

    E sobre a lancha-rapida, tive uma pessima experiencia com a lancha que faz Morro de SP – Salvador rs.. talvez pelo fato do percurso ser pelo mar, com as inevitaveis ondas. A versão portenha rapida chega a ser deagradavel?

    Vou ler mais sobre os post e ja volto =D

  17. Seja muito bem-vindo, Fabio! 😀

    Acho que a necessidade de antecedência depende da época em que você viaja e da sua flexibilidade. Eu comprei com antecedência porque estava viajando em pleno Carnaval, com tudo reservado, e não podia me dar ao luxo de não atravessar no dia marcado. Mas não acredito que a procura seja tão intensa em datas comuns a ponto de exigir a compra via Internet, não… Já que você fica em Bs.As. 4 dias, eu iria ao escritório da Buquebus no primeiro dia e compraria as passagens – me parece ser suficiente.

    Eu acho que essa promoção para o barco noturno compensa, sim – a paisagem não faz nenhuma diferença na travessia. E não precisa se preocupar com o barco rápido! Também fiz a travessia Morro de SP-Salvador, e te garanto que o percurso pelo Rio da Prata nem de longe lembra a aventura em mar aberto da Bahia – está bem mais próxima da travessia da Baía de Guanabara, tranqüila, tranqüila… 😉

  18. Tem razão, vou apreoveitar os 4 dias por la eme decido.

    Tambem tem a opção da Colonia Express né? Como será numa terça-feira em baixa temporada, deve ser tranquilo mesmo.

    Opa! Ja estou considerando o tal barquinho rápido, e deixar o meu trauma lá na Bahia rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *