Meu primeiro dia de férias em… Guarulhos?!?

Em tempos de caos aéreo, quem não pretende abrir mão de viajar de avião precisa levar 3 itens absolutamente indispensáveis na bagagem: desprendimento, paciência e doses maciças de bom humor. Pois bem, eu estava armada até os dentes com esses artefatos, digamos, “bélicos”, para a guerra dos aeroportos, mas fui agradavelmente surpreendida.

Não, vocês não me entenderam mal. A bem da verdade, eu passei por várias e várias situações chatas em aeroportos, mas nenhuma delas aconteceu por causa do malfadado “caos aéreo” – ou melhor, esse tipo de caos poderia ter acontecido em qualquer época, desde que eu me entendo por viajante…

Como o meu vôo internacional se originava em São Paulo, e eu comprei a passagem quando os atrasos em aeroportos já eram uma constante, fiz questão de deixar uma boa margem de segurança entre a chegada do meu vôo do Rio e a partida do meu vôo para La Paz. Na 2a.f., dia 23/07, meu primeiro dia de férias, o tempo amanheceu horrível: nevoeiro no Rio e chuva em São Paulo. Diante desse quadro meteorológico, nem os “óculos cor-de-rosa” que eu costumo usar davam conta de me convencer que o meu vôo decolaria do Galeão no horário. Dito e feito. Meu vôo marcado para as 11:00 h da manhã levantou vôo pouco depois das 13:00. De certa forma, foi até bom… Eu tinha dado uma margem de segurança de quase 6 horas, e não me parecia má idéia dividir o “chá-de-aeroporto” entre Galeão e Guarulhos.

Chegamos a Guarulhos perfeitamente dentro do horário para fazer o check-in para o vôo de La Paz. Mas qual não foi a nossa surpresa ao saber que não seguiríamos viagem naquele dia… O avião da TACA que nos levaria até Lima para uma conexão para La Paz não chegaria a São Paulo no horário, por uma razão totalmente alheia ao nosso caos aéreo: um passageiro havia passado mal no vôo proveniente de Lima, o avião tinha retornado para a cidade, e só chegaria a São Paulo com várias horas de atraso. Assim, todos os passageiros perderiam suas conexões, e estavam sendo acomodados em hotéis nas redondezas do aeroporto até o próximo vôo.

Fiquei decepcionada, claro – bateu uma frustração, sem dúvida. Mas não deu pra deixar de dar uma boa risada quando percebi que o meu planejamento tão cuidadoso tinha redundado numa furada do tamanho de um primeiro dia de férias em Guarulhos… 😆 Assim, onde naquele meu planejamento se lê “reconhecimento geral da cidade de La Paz”, leia-se “uma voltinha no shopping de Guarulhos pra ajudar a passar o tempo até o próximo vôo para La Paz”…

Desprendimento, paciência e bom humor – taí a minha receita infalível para salvar as férias!

20 thoughts on “Meu primeiro dia de férias em… Guarulhos?!?

  1. Esse é um fator que me preocupa quando for marcar a minha viagem pois o Rio ainda não possui vôo direto para Lima, somos obrigados a passar por Guarulhos seja qual for a companhia. Eu nestes momentos costumo ir desarmado, bem tranqüilo. Sei que não adianta ficar batendo boca com funcionário de companhia aérea, se o vôo atrasar mais de 4 horas, aguardo as instruções da empresa, se não cumprir a Lei, processo a empresa. É super chato, mas é melhor que ficar se estressando em balcão de aeroporto, guardo o recibo de tudo e peço o devido ressarcimento quando volto para casa.

  2. A não cada uma que acontece hein!!!

    Bom, muita paciência e tente manter o bom humor!! Boa sorte e uma super viagem!!!

    Bjo!

  3. Ronaldo, de certa forma acho que posso te tranqüilizar – o que vi e ouvi o tempo todo nos aeroportos foi que os vôos internacionais estão sendo muito menos afetados pelos atrasos do que os domésticos. No dia seguinte, quando finalmente comecei minhas férias, o vôo decolou com uma pontualidade inacreditável, fiquei até impressionada!

    Marcio, você está de volta! Eu também já cheguei – no fim das contas, apesar dos inevitáveis percalços pelo caminho, tudo acabou dando certo!

  4. Carla, você sabe que depois que você já estava lá que eu me liguei? Deveria ter te dado meu telefone! Mas aí já era tarde…
    Onde você acabou dormindo?

  5. Emília, não precisava se preocupar… (Mas obrigada pela preocupação mesmo assim!) A TACA foi super profissional – nos hospedaram no Meliá, com todas as refeições, transporte de/para o aeroporto, telefonemas incluídos, tudo bonitinho como manda o figurino! 😀

  6. Carla, se a gente não tiver percalços para contar na volta, a viagem perde metade da graça… 😆 😆 😆 Também sempre uso meus óculos cor de rosa!!!!

  7. Maravilha que a Taca foi bem organizada…hoje em dia isso é uma exceção, infelizmente. Eu viajei com eles para a Costa Rica e os achei bem eficientes.
    Mudando de assunto, eu enviei para o Beto um link e me lembrei de você: sabe aquele conto do Cortazar, das galerias em BsAs e Paris? Olha que bacana essas fotos:
    http://www.linternaute.com/paris/magazine/passages-couverts-a-paris/10-passages-a-de-couvert.shtml
    Os outros ‘diaporamas’ são muito bacanas também.
    PS: Se precisar de carona, estou pertinho também! Aliás, desse jeito é melhor irmos todas juntas 😆

  8. Uma dúvida Carla…me falaram horrores da Taca, que o serviço de bordo era péssimo, que tudo é cobrado em separado e a tripulação é super mal educada com os brasileiros, você teve a mesma impressão ou que me contaram é choro dos desafetos.

  9. Ronaldo, quero te desanimar não.
    Mas nas duas últimas vezes que fui a Ribeirão eu tive problemas com a GOL.
    Em uma eu fiquei das 20h até 5h da manhã esperando meu vôo e nenhuma providência foi tomada.
    Na outra, o vôo foi cancelado e a única coisa que disseram foi para eu ir para a rodoviária e pedir reembolso da passagem.
    Claro que foram dias especiais, neblina e acidente, mas ainda assim, respeito nenhum.
    Ah, e não adiantou nada reclamar com eles.
    Por isso, se eu fosse vc, eu já deixaria planejado um plano B. Não custa nada…

  10. Emília, vamos combinar de ir todo mundo junto!!! A gente já começa a ConVnVenção no caminho… 🙂

    Ronaldo, muito pelo contrário, eu tive uma impressão EXCELENTE da TACA! Os funcionários foram nota dez desde a comunicação do cancelamento do vôo, até as providências para a nossa acomodação no hotel e tudo o mais – não precisei pedir absolutamente nada, eles já tinham pensado em tudo. No dia seguinte, quando realmente tomamos o vôo, fiquei muito bem impressionada com a eficiência no embarque, com a presteza dos funcionários e, pasme!, com a qualidade do serviço de bordo, algo que eu achava que já tinha virado obra de ficção. Aliás, nada é cobrado em separado, não, nem mesmo as bebidas alcóolicas! Tivemos um jantar bastante competente, filminho a bordo e todo o necessário para encarar as 5 horas de vôo de São Paulo a Lima numa boa. Ah, e tudo isso por um precinho bem abaixo do preço da Gol… 😉

  11. Arthur, pra falar a verdade, eu até imaginava que passaria o dia no aeroporto de Guarulhos… Mas daí a ir até a cidade foi demais pra mim… 😉

  12. Jorge, eu nem tentei descobrir, na realidade… Acordei meio tarde, aí fui só dar uma volta no shopping, tomei um café bem gostoso e logo voltei pro hotel pra pegar a bagagem e rumar pro aeroporto…

  13. Pingback: A paz é colorida!!! « Idas e Vindas

  14. Pingback: Bolívia - Balanço geral: Roteiro « Idas e Vindas

  15. Carla, o avião que sai se SP vai até La Paz ou em Lima troca-se se avião? Sei que você deve estar “meio” ocupada nesses dias e que a resposta pode tardar um pouco… 😉

  16. Camila, teoricamente troca-se de avião em Lima, mas o avião em que seguimos para La Paz foi o mesmo, tenho certeza…

  17. Pingback: Idas e Vindas – Viagens e Aventuras » Bolívia e Peru – o índice da viagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *