A idéia de visitar a Bolívia me acompanha desde que estive no Chile pela primeira vez, em setembro de 2000. Naquela ocasião, quando visitei os Geysers del Tatio, soube que estava a apenas 10 km da fronteira entre o Chile e a Bolívia – não tive a oportunidade de cruzar a fronteira, mas a distância insignificante aguçou a minha curiosidade…

Três anos mais tarde, quando fui a Corumbá, no Mato Grosso do Sul, tive a chance de cruzar a fronteira com a Bolívia inúmeras vezes, tanto de carro, para conhecer o free shop de Puerto Quijarro ou a igrejinha colonial e o píer de Puerto Suárez, quanto de barco, passeando pelo Rio Paraguai – e a curiosidade aumentou… ;-)

093-puerto-suarez-igreja.jpg 120-marco-da-divisa-brasil-bolivia.jpg

A igrejinha colonial de Puerto Suárez e o marco da divisa Brasil-Bolívia visto do Rio Paraguai

Quando surgiu a idéia desta viagem, o foco principal da nossa atenção era o Peru, não a Bolívia. Queríamos curtir o centro histórico de Cuzco, visitar as ruínas de Machu Picchu, conferir os restaurantes de Lima. Mas, com 15 dias de férias nas mãos e as lembranças de alguns programas da TV a cabo sobre o Lago Titicaca, o roteiro original começou a ser adaptado e a tomar a forma atual.

A princípio, o mais importante era inserir o lago no roteiro, fosse pelo lado peruano ou pelo boliviano. Analisando o mapa, o mais sensato parecia ser aproveitar a proximidade do lago com La Paz e a estrutura turística de Copacabana, até porque a distância de Lima a Puno, a cidade-base para os passeios pelo lado peruano do Titicaca, é bastante considerável.

perbol2.jpg

Mapa: Turisbus

E foi assim que começaram as pesquisas sobre a Bolívia. Se iríamos chegar por La Paz, teríamos que dedicar ao menos uns dias à cidade, e não partir para Copacabana de imediato – e assim começamos a descobrir a riqueza histórica e cultural das civilizações pré-incaicas e pré-colombianas, além de toda a beleza natural de um país que oferece montanhas, lagos gelados, selva amazônica, cidades históricas e desertos de sal, tudo em um só pacote… ;-)

Infelizmente, o nosso período de férias, que parecia até generoso a princípio, começou a parecer escasso para dar conta de tantos atrativos! E foi então que decidimos ver o que fosse possível no pouco tempo que nos cabia na Bolívia, sem lamentações, mas sabendo que estávamos deixando várias e várias atrações para uma outra oportunidade.

Originalmente, o nosso roteiro já continha pouco tempo na Bolívia: eram 4 noites, distribuídas do seguinte modo:

  • 3 noites em La Paz: chegaríamos à cidade de madrugada, e teríamos 2 dias inteiros para visitar a cidade em si, o Valle de la Luna e o sítio arqueológico de Tiwanaku;
  • 1 noite em Copacabana: sairíamos de La Paz bem cedo para chegar à Copacabana ainda pela manhã, contando aproveitar a tarde para um passeio à Isla del Sol.

Pois bem: quase tudo correu como o planejado, exceto pelo fato de que o nosso vôo de ida para La Paz foi cancelado e perdemos o primeiro dia das férias:cry: Tivemos então que rever as nossas prioridades: resolvemos sacrificar a ida a Tiwanaku e substituí-la por um city-tour por La Paz, para pelo menos tentar ter uma noção da cidade. Resumo da ópera? Parece que funcionou, mas preciso voltar a La Paz com mais calma e devo a mim mesma uma visita a Tiwanaku;-) Em Copacabana, tudo deu absolutamente certo!

No dia em que eu voltar à Bolívia – e eu espero que não demore! – quero dedicar uns 15 dias ao país, nada de 4 ou 5, apenas…

Para começar, talvez eu chegasse por Santa Cruz de la Sierra, para conhecer uma outra Bolívia, mais rica e moderna por conta do petróleo e do gás, mais envolvida em sua herança européia. Aproveitaria para visitar a região das missões. Dedicaria algum tempo às belezas naturais do Salar de Uyuni e suas lagunas multicolores. Visitaria a cidade de Potosí, grande produtora de prata na época colonial. Iria a Sucre, a capital constitucional da Bolívia, um importante centro cultural do país. Passaria ao menos um dia em Oruro, outra cidade de herança colonial. Voltaria a La Paz, dessa vez com tempo para ir a Tiwanaku. E provavelmente terminaria o périplo novamente em Copacabana, curtindo a vista maravilhosa do Lago Titicaca… :D

img_1029.JPG