Trilhos Incas

Desde o começo do planejamento da viagem – aliás, desde que eu me entendo por gente, e gente que gosta de viajar e queria ir conhecer o Peru – eu sabia que a Trilha Inca não era pra mim… Curiosidade eu tenho, sim – e a Emí­lia, convidada especial do Idas e Vindas no post anterior, ajudou bem a aguçar essa curiosidade… Mas eu me conheço – sempre fui fresca e chata, e depois de arranjar uma hérnia de disco, então, essa aventura não ia dar certo… Assim, eu já fiz os planos trocando a Trilha Inca pelos “trilhos incas”… 😆

A Peru Rail é a empresa que faz o transporte entre Cuzco e Machu Picchu, assim como de Puno a Cuzco, aliás… Ela pertence ao grupo Orient Express, o que fica bem patente nos trens de luxo que fazem as duas rotas: o Hiram Bingham, de Cuzco a Machu Picchu, e o Andean Explorer, de Puno a Cuzco.

Nota: Nesse post aqui eu dei o passo-a-passo de reserva e compra de bilhetes da Peru Rail.

São 3 tipos de trens turísticos que fazem a ligação entre Cuzco e Machu Picchu (todas as fotos são do site da Peru Rail):

– o Hiram Bingham – um trem de luxo, que ficou só na vontade mesmo; a US$ 588.00 a passagem, acho que nem na próxima encarnação… 😛

– o Vistadome – o meu escolhido, um trem panorâmico que tem grandes janelas e boa parte do teto de vidro, para que se aprecie a paisagem; ano passado eu paguei US$ 113.00 ida e volta, mas já vi no site que em 2008 o valor é US$ 142.00 (preços inflacionadí­ssimos em dólar!!!)

– o Backpacker – o trem convencional, escolhido pela maioria dos turistas que vai a Machu Picchu; para 2008, a tarifa ida e volta é de US$ 96.00.

Há uma boa diferença de preços entre eles, mas a verdade é que não é barato ir a Machu Picchu, seja pela Trilha Inca ou por qualquer dos 3 tipos de trem oferecidos. Claro que o Hiram Bingham é quase uma afronta, mas os outros trens mais “normais” – o Vistadome e o Backpacker – também não são exatamente “baratinhos”… Os preços da atração turí­stica mais famosa do Peru estão completamente fora de qualquer parâmetro praticado no resto do paí­s!

Quando estive lá, em julho de 2007, o meu orçamento foi este:

– Trem Vistadome, Cuzco / Machu Picchu / Cuzco – US$ 113.00;

– Ônibus Aguas Calientes / Machu Picchu / Aguas Calientes – US$ 24.00;

– Ingresso para o Parque Nacional de Machu Picchu, válido por 1 dia – o equivalente a US$ 38.00.

Uma das maiores vantagens que têm aqueles que fazem a Trilha Inca é chegar ao Parque antes que os portões sejam abertos aos turistas; uma forma de aproveitar um pouco dessa calma, mas depois de abertos os portões, claro, é escolher o Vistadome que parte de Cuzco às 6:00 da manhã, que chega a Machu Picchu antes do Backpacker e, portanto, antes da maior parte dos turistas… 😉

Durante a fase de planejamento, cheguei a pensar em dormir uma noite em Aguas Calientes para voltar a Machu Picchu no dia seguinte. O Bruno Vilaça, em um comentário lá no Viaje na Viagem, me demoveu da idéia com dois ótimos argumentos: primeiro, que só os hóspedes dos hotéis situados dentro do parque podem permanecer lá após o fechamento dos portões, ou seja, adeus pôr-do-sol e nascer do sol na manhã seguinte; segundo, que levando um lanchinho para não precisar sair para almoçar, eu teria tempo mais do que suficiente para percorrer todo o sí­tio arqueológico. Eu segui a dica, e ela se revelou muito sábia – valeu, Bruno! 😀

14 thoughts on “Trilhos Incas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *