Sim, esse é apenas o primeiro! :-) Alugar um apartamento foi uma experiência tão positiva – como eu já esperava que seria, pelas histórias que vinha colecionando – que não consigo mais me imaginar hospedada em um hotel em Buenos Aires. Claro, eu posso abrir uma exceção para o Alvear:lol:

Eu pretendia ter tido essa experiência mais cedo… Já tinha até mesmo reservado um apartamento para a época do Carnaval. Era um studiozinho simpático, a um precinho ainda mais simpático: US$ 200 a semana. (Aos que se interessarem: o preço no site já é US$ 250!) Mas não pude viajar na época que pretendia e, para uma nova data, nada melhor do que um novo endereço – de modo que a minha estréia como habitante temporária em terras portenhas foi mesmo nessa preciosidade aqui

O apartamento foi um achado: comecei a procurar com 2 meses de antecedência apenas, quando o ideal é começar a buscar vários meses antes, para ter acesso aos apartamentos com melhor relação custo-benefício, que são, logicamente, os primeiros a serem alugados.

O processo é todo muito simples. Primeiro, escolhemos o apartamento no site da BytArgentina. Daí temos que esperar a confirmação de disponibilidade. Uma vez confirmada, paga-se uma taxa de reserva de US$ 45, via cartão de crédito, que não é reembolsada em caso de cancelamento. O aluguel só é pago na chegada, em dólares cash, assim como o depósito de igual valor, que é devolvido pelo proprietário na saída.

Aqui vão então algumas fotos da nossa “casinha”, começando pela sala:

A sala me impressionou pelo tamanho – enorme para um apartamento de apenas um quarto!

Por esse ângulo dá pra ver a porta de entrada do apartamento:

generic viagra

Nesse hall tem um daqueles armários, típicos de lugares frios, onde se guarda os casacos logo ao chegar da rua… ;-)

A porta à esquerda, na segunda foto acima, leva à cozinha:

Tínhamos até uma mini-área, com um tanque, que ninguém se animou a usar… :lol:

E a nossa geladeira oferecia mil e uma opções de entregas em domicílio, para um dia de chuva, ou da mais absoluta preguiça – mas também não pensamos em usar…

Seguimos então pelo corredor até o banheiro e o quarto – no corredor, temos mais armários, com roupas de cama e de banho extras:

Nada como um banheiro novinho, clarinho e decorado com bom gosto! ;-)

E um quarto bem aquecido, com boas persianas (que faziam 8 horas da manhã parecer de madrugada…) e, mais uma vez, ótimos armários:

Nosso apartamento ficava localizado na Peña, quase na esquina com a Ayacucho, bem perto do hotel Ayacucho Palace. Era um apartamento de fundos, no 11o. andar, e a Peña é uma rua tranqüila, onde não passam ônibus. Melhor, impossível!!! (Bom, podia apenas ser um pouquinho mais perto do metrô… ;-) )

O saldo da experiência foi super positivo. A relação custo-benefício é espetacular. Pagamos, no total, US$ 380 pelo apartamento, incluindo a taxa de reserva, ou seja, pouco menos de US$ 50 a diária. Arrisco dizer que é IMPOSSÍVEL conseguir um hotel na Recoleta a esse preço, mesmo que os quartos sejam minúsculos. No hotel vizinho, as diárias são de 280 pesos argentinos para o quarto duplo, cerca de US$ 90… (Acabo de ver que o aluguel aqui já subiu de preço também – para US$ 385! Com a taxa de reserva, sai no total a US$ 430, ou pouco mais de US$ 61 a diária. Continua sendo um bom negócio, principalmente comparado aos hotéis, mas dá pra encontrar apês mais em conta – talvez apenas não sejam tão espaçosos)

Além disso, tudo o que o apê oferece em termos de conforto, espaço, localização, preço e privacidade, além da experiência inigualável de participar da vida cotidiana da cidade, mesmo que só por uma semaninha, torna a opção ainda mais atraente.

Acredito que um hotel seria uma escolha melhor só mesmo para aqueles que não abrem mão dos serviços (apesar de que o serviço de arrumadeira está incluído uma vez por semana no aluguel do apartamento, e pode-se contratar mais vezes, se for o caso), ou para aqueles que vão ficar tão pouco tempo na cidade que empregariam melhor o seu dinheiro em poucas diárias isoladas, em vez de uma semana de aluguel.

Ou talvez, quem sabe, para aqueles que não dispensam um belo café da manhã de hotel… Mas talvez esses eu consiga convencer com um tour pelos cafés onde desayunamos ao longo da nossa semana!!! :D (A seguir, em mais um capítulo dessa novela interminável em que se transformou o meu bloguito… )

Pedido: Pessoal, vocês que já alugaram apês em Bs.As., se incomodariam de deixar os links aqui nos comentários, para montarmos um mini banco de dados? Acho que isso faria a festa de quem está buscando apartamentos com recomendações – e eu incluiria, claro, os links para os posts em que vocês mostram os apês, no caso daqueles que têm os seus próprios blogs… ;-)

Atualização – Mini banco de dados

Pessoal, aqui vai uma compilação de links e comentários para facilitar a vida daqueles que estão buscando informações sobre os apartamentos já alugados por freqüentadores aqui do blog:

1. O apê do Alexandre e da Graziella com comentários do Alexandre. Vale a pena ver também os posts sobre a viagem deles a Buenos Aires!

2. O apê da Emília e seus comentários. Os relatos da Emília sobre Buenos Aires também estão ótimos!

3. O apê grande da Sylvia na Recoleta, o apê pequenininho também na Recoleta e o apê em Palermo. Leiam também os comentários da Sylvita sobre eles!

4. O apê da Dani S. e seus comentários.

5. O apê da Mari, seus comentários e um post!

6. O apê no. 1 da Wanessa e o apê no. 2, com comentários.

7. O apê da Angela Bruno (que eu ia alugar e cancelei…), com comentários.

8. O apê no. 1 da Eliana, com comentários; o apê no.2, também com comentários; e o apê no.3, com comentários.

9. O apê da CarlaZ, com comentários.

10. O apê da Ana Luisa, com comentários.

11. O apê do Francisco, com comentários.

12. O apê do Mac, com comentários.

13. O apê da Celia, com comentários.