Central Park South

Com a maçã no bolso: orçamento para uma viagem a Nova York

Central Park South
Central Park South

“Mas é uma insanidade!!!” Foi o que disse a minha consciência no início de dezembro do ano passado,  quando recebi um convite, que na ocasião me pareceu irrecusável, para ir passar o Carnaval em Nova York. Com a crise financeira mundial comendo solta desde setembro, e o dólar subindo a níveis há muito não vistos,  as únicas viagens sensatas a fazer pareciam ser aquelas em que as palavras “câmbio” e “dólar” não estivessem envolvidas. Ou seja, melhor esquecer as viagens internacionais… 😥

Mas o fato é que a sensatez teve um papel muito pouco preponderante na minha decisão – decidi com a emoção mesmo… E, embora em termos pessoais agora eu saiba que a decisão foi realmente insana (tanto que nem tenho muito o que blogar da viagem em si, sorry…), em termos de planejamento financeiro ela se revelou extremamente viável, e isso eu faço questão de compartilhar! 😉

Amor na Sexta Avenida
Amor na Sexta Avenida

Quando eu começo a planejar uma viagem para um destino comum, o meu primeiro passo sempre é investigar os preços dos pacotes. Então eu começo a jogar um jogo comigo mesma, que consiste em baixar o preço o máximo possível, para “ganhar” do pacote – isso deve ser feito sem perder a qualidade da viagem, ou seja, não vale trocar hotéis por albergues, mas vale trocar um hotelzão por um hotel charmosinho, uma pousadinha chique e assim por diante. Liguei então para a Sabrina, minha amiga de infância, dona da Pescara Turismo, que volta e meia me consegue  umas barganhas inacreditáveis. Mas o que a Sabrina tinha a oferecer não era muito animador: passagens da American Airlines a US$ 1000, pacotes da TAM Viagens a US$ 2500 (ui…), sempre ficando naqueles  “hotéis de pacote”:  Pennsylvania, Milford Plaza e tal. Não, eu estava determinada a planejar a viagem perfeita para Nova York, e definitivamente esses não eram os hotéis nem os preços que eu tinha em mente.

Grand Central Station
Grand Central Station

De qualquer forma, com um valor inicial de US$ 2500 pelo pacote de 1 semana, não me pareceu que seria muito difícil vencer o meu joguinho… Entrei na Internet e fui direto ao Kayak. Enquanto eu estava morando na Califórnia ano passado, planejei uma viagem de carro pela costa oeste usando o Kayak o tempo todo – e ele se tornou o meu site favorito de busca de preços para viagens. Pesquiso tudo nele, desde pacotes completos a vôos, hotéis e aluguel de carros, e consigo preços inacreditáveis, sem nunca ter tido nenhum problema. É verdade que na maior parte dos sites agregados pelo Kayak o pagamento é adiantado, mas isso nunca me incomodou, porque dificilmente viajo com brechas abertas no roteiro.

Brooklyn Bridge
Brooklyn Bridge

Comecei a brincar então com as datas dos vôos, e o melhor que pude encontrar foi um vôo da Continental,  partindo do Rio na noite da 4a.f. anterior ao Carnaval, dia 18/02, e voltando na 4a.f. seguinte à tarde, por US$ 854 mais as taxas de embarque. Liguei para a Sabrina e passei o que tinha conseguido – e eis então que a Super Sabrina me retorna pouco depois dizendo que ela conseguiria baixar esse preço para US$ 828, mas, se estivéssemos dispostos a viajar na 3a.f. anterior ao Carnaval e só voltar na 5a.f. da semana seguinte, ela conseguiria a inacreditável tarifa de US$ 728!!! Negócio fechado imediatamente, claro, que com uma barganha dessas não se brinca… 😉 Em termos de passagens aéreas, ainda existem várias pechinchas que só mesmo um agente de viagens consegue, porque não se tem acesso a elas via Internet…

Central Park
Central Park

O passo seguinte era acertar os hotéis… A minha melhor lembrança de hospedagem em Nova York  foi uma ocasião em que me hospedei no Roosevelt, em 1997. Só que, de lá pra cá, o Roosevelt virou um hotel queridinho da CVC, o que provavelmente significaria bloqueio para o Carnaval e preços nas alturas.  Pedi ajuda à Sabrina, mas as diárias que ela me ofereceu estavam fora de cogitação – nada abaixo dos US$200, e nenhum hotel que me chamasse a atenção…  Como o joguinho requer um bocado de paciência e perseverança para ser vencido, voltei para o Kayak.  Dei de cara então com um hotel sobre o qual já tinha lido há tempos no Trip Advisor, e que estava reservado em algum canto da minha memória para uso futuro: o Salisbury Hotel. As resenhas eram bastante animadoras – falavam do tamanho enorme dos quartos, da ótima localização a 2 quadras do Central Park, do café da manhã oferecido no próprio hotel, enfim, era uma pérola! Além disso, as diárias no Salisbury para as nossas datas estavam a um precinho sensacional no Expedia: US$ 122 a diária do quarto duplo standard, mais as taxas, o que daria um total de pouco mais de US$ 146.  Passei o achado para a Sabrina, pra ver se ela conseguia baixar o preço ainda mais, mas não deu resultado. Por mais que ela tentasse, não houve meio de conseguir uma operadora de turismo brasileira que trabalhasse com o hotel! Isso até me animou, porque não vejo muita graça em sair do país pra só esbarrar em brasileiros… Nada contra os compatriotas, mas eu gosto de falar outra língua e ter contato com pessoas de outras nacionalidades quando estou fora do país… 😉

Times Square - reparem na placa avisando sobre a câmera de segurança...
Times Square – reparem na placa avisando sobre a câmera de segurança…

Decidimos então fechar pelo Expedia, mas qual não foi a minha surpresa quando constatei que, das 8 noites que pretendíamos reservar, apenas 7 estavam disponíveis – em uma delas o hotel já estava completamente lotado!!! :-( Me vi de repente com um problemão nas mãos, que logo apelidei de “a noite dos desabrigados”… 😆 Pensei nas soluções mais malucas, mas a idéia que me pareceu mais interessante foi a de transformar a “noite dos desabrigados” na “noite da extravagância”… Se íamos mudar de hotel por uma noite, que não fosse apenas para suprir a falta de acomodação, mas para curtir um hotel especial, melhor do que o que havíamos escolhido anteriormente. Pedi dicas ao pessoal no Viaje na Viagem, e o próprio Riq me deu algumas sugestões especialíssimas, como os novos hotéis-boutique do Lower East Side, com paredes de vidro do chão ao teto… Nosso eleito foi o Hotel On Rivington, onde optamos não pelo quarto mais simples, mas por um quarto de canto em um andar alto, com duas paredes de vidro ao invés de apenas uma… 😉 Mas toda extravagância tem seu preço, claro, e a nossa custou US$ 450, já com as taxas incluídas.

Empire State Building
Empire State Building

Para completar o pacote, faltava apenas decidir o transporte do aeroporto para o hotel e vice-versa. Pensei em táxi, van, transporte em carro particular, limusine e até helicóptero, mas demoramos a decidir… No fim das contas, vendo que o nosso vôo aterrisaria às 6 da matina em Newark e só faríamos o check-in no hotel às 3 da tarde, decidimos alugar um carro com GPS e ir passar o dia no Woodbury Common  Premium Outlets, em New Jersey. Reservamos um carro básico na Avis a pouco menos de US$ 80, pegando no aeroporto e devolvendo na loja da Avis da rua 54, a apenas 3 quadras do nosso hotel.  Depois acabamos pedindo um upgrade de modelo, o que elevou o custo para quase US$ 100, e gastamos US$ 30 de combustível. Mesmo assim, foi uma decisão acertadíssima – cansativa, é verdade, mas foi uma ótima forma de aproveitar o primeiro dia e ainda unir os custos de transporte  e passeio no shopping… 😉 Deixamos a volta ao aeroporto para decidir lá, e acabamos nos dando ao luxo de contratar uma limusine, por US$ 90 apenas…

Fonte: Woodbury Common Premium Outlets
Fonte: Woodbury Common Premium Outlets

Nosso orçamento geral foi o seguinte:

  • Passagem aérea Rio/Nova York/Rio pela Continental: US$ 728;
  • Salisbury Hotel (7 noites): US$ 1028, ou US$ 514 por pessoa;
  • Hotel On Rivington (1 noite): US$ 450, ou US$ 225 por pessoa;
  • Aluguel do carro: US$ 130, ou US$ 65 por pessoa;
  • Limusine: US$ 90, ou US$ 45 por pessoa.

Além disso, fizemos um seguro de saúde por US$ 40 por pessoa, e compramos ingressos para ir ao teatro ver 3 espetáculos, em um total de US$ 166 por pessoa – não estou computando esses gastos nem o valor das taxas de embarque, cerca de R$ 235,00, no valor total da viagem.

Total: US$ 1577 por uma estada de 9 dias / 8 noites em Nova York. Nada mal, né? Acho que posso considerar que dessa vez eu consegui vencer o joguinho… 😉

Ah, vidinha mais ou menos...
Ah, vidinha mais ou menos…

70 comentários em “Com a maçã no bolso: orçamento para uma viagem a Nova York”

  1. Aeee Carla…ganhou o jogo!!! Alias mandou muuuuito bem. Foi um excelente valor de pacote.
    Mas o que mais gostei foi da ideia de sair do aeroporto e passar no Woodbury. Newark já está mais simpático pra mim depois dessa…
    Beijo

  2. Carlinha, o melhor foi que consegui esse “pacote” com direito a uma “noite de extravagância”… 😉 O Woodbury não foi exatamente uma “passadinha”, porque fica a 1 hora de Newark – mas foi uma forma muito prática de aproveitar o dia! E acabamos ganhando mais um dia em NY! :)

    Camila, mas é possível mesmo!!! Só tem que ter paciência, porque não é toda hora que aparecem essas barganhas, infelizmente…

    Mô, o site dela está desatualizado há algum tempo… Eu coloquei o link justamente por causa do email e dos telefones… A Sabrina é ótima pra descobrir barganhas quando a gente já sabe o que quer. Eu costumo dizer a ela o que consegui online e pedir pra ela baixar – quando ela consegue é um arraso!!! 😀

  3. Carla,
    Irei para NY em junho. Se puder, gostaria de dicas sobre compras de ingressos para teatros. Quais as boas peças da atualidade? Para ir do aeroporto para o hotel, vc aconselha taxi? O preço que me passaram de carro particular, achei abusivo $120 por pessoa com direito a 5 malas ou $90 por pessoa em van. Desde já agradeço. Abraço.

  4. Elaine, vou fazer um post em breve sobre ingressos de teatro, com as dicas para conseguir bons preços.

    Sobre o transporte do aeroporto para o hotel, depende do aeroporto onde você chega. Eu cheguei por Newark – de lá a Manhattan, o táxi, já com pedágios e gorjeta, sai a uns US$ 60. Se você chegar pelo JFK é um pouco mais barato. Sobre os preços que te passaram, achei altíssimos. Para transporte em carro particular, veja a Dial 7: http://www.dial7.com e para transporte em van, a Super Shuttle: http://www.supershuttle.com

  5. Carla, esse seu post só mostra que só consegue bons preços em viagens quem realmente pesquisa, nada de preguiça! A sua recompensa deve ter sido realmente maravilhosa…que arraso de hotel é esse Rivington! Babei 😀

  6. Emilia, fiquei super satisfeita de ver que a pesquisa deu bons resultados! E o Rivington é mesmo espetacular – tenho algumas pequenas ressalvas, que depois vou explicar em um post sobre o hotel, mas no geral é um arraso mesmo! 😉

  7. Oi Carla. Tudo bem?

    Seu post veio em ótima hora! Mas restaram algumas duvidas…

    Vc acha que os sites de reserva de hotéis indicados pela kayak sao mesmo confiáveis? E esses tickets da brodway? Qual foi o segredinho? A Mari comentou comigo sobre a opçao dos stand up tickets.

    Acredita que eu nunca dei sorte com agentes de viagens? Acho que eu não passo muita credibilidade para as pessoas :) então eles nao se passavam muito tempo procurando ofertas e promoçoes e acabam sempre me apresentando orçamentos mais caros do que os que eu consigo pela internet.

    Obrigada pelas dicas!

    Beijos
    Natalie

  8. Natalie, eu não posso te garantir que todos os sites sejam confiáveis – afinal, ninguém está livre de cair em roubadas… O que posso te dizer é que nunca tive nenhum tipo de problema, e já usei o Expedia, o Travelworm, o Asia Rooms e outros.

    Vou contar o segredinho da Broadway no próximo post, pode deixar! 😉

  9. Carla, que bom é pode ler seus posts sobre a programação dos seus viagens!

    Eu quero voltar a NY, mas nunca tenho tempo. Para ir a NY necessito uma semana o um pouco mais e sempre passa algo e ao final eu não pode ir.
    Um saludo

  10. Ah, Carmen, voltar a Nova York é mais gostoso do que ir pela primeira vez… Nada como não ter as “obrigações turísticas” a cumprir… 😉

  11. Adorei este post, porque realmente ajuda a quem está pensando em ir a New York ou mesmo para qualquer outro lugar, porque mostra como se monta um “pacote a medida”. E Parabéns pelo domínio!
    Beijos

  12. Obrigada, Mari! É casa nova, mas com jeitinho de casa antiga… 😉

    Patricia, que bom que eu consegui passar bem essa idéia – era esse mesmo o objetivo, ser bem didática! 😀

  13. Carlinha, com este seu post até que me animei conhecer Nova York 😆 Vou pensar no assunto 😉 O hotel por $146,00 está uma barbada e a crise empurrou os preços pra baixo, você deve ter conseguido algums pechinchas também 😉

  14. Carla, qdo eu vi que vc tinha voltado a NY pensei – “se ela tava nos EUA ano passado pq não aproveitou…”. Essa foi a reação do meu lado racional. Quando comecei a ler o post, li a palavra convite – quem sou eu, paguei uma passagem de 1280 dolares para passar 10 dias no Egito e 3 em Paris sem pensar 2 vezes por causa de um – entendi tudo – foi meu lado emocional. Parabéns pela casa nova!!!

  15. Pois é isso mesmo, Cristina, as viagens que fazemos são muito mais emocionais do que racionais… Ano passado eu estava mesmo super a fim de dar uma escapulida a NY, mas foi impossível – não tinha tempo hábil nem dinheiro… A bem dizer, continuei sem ter uma coisa nem outra, mas aí apareceu o tal convite… 😉

  16. Oi, Carla! Parabéns pela casa nova! Nada melhor que praticidade.

    Que jogo, hein? Sempre achei o preço dos pacotes um absurdo comparado ao que ofercem. Nada melhor que pesquisar e pedir uma ajudinha. E ainda ir ao aeroporto numa limo! Mas que peças você viu? O que comeu? Fica pro próximo post?

    Bjs!

  17. Das peças eu vou falar no próximo post, Alexandre. E até cheguei a ir a um ou outro restaurante que valesse postar, mas não documentei nada, vou ficar devendo… 😉

  18. Uauuuuuuuu

    Conseguiu fazer um verdadeiro milagre..

    Parabéns..

    Eu tb passo horas brincando nos sites de busca.. amooo!!

    Estou aguardando as proximas aventuras..

    Bjos e Otima semana desde jà..

    =)

  19. Carla,
    Que delicia de viagem, e sou suspeita, adoro NY, sempre que podia eu passava por la, a cidade eh linda, eh um filme, e nao me canso, e esse preco foi muito bom mesmo, bem investido!!!!! Pq viagem eh investimento!

    Beijao….

  20. Essas coisas acontecem, Fabio, os preços são flutuantes mesmo… Mas, por mera curiosidade, você simulou para quais datas? Eu consegui esses preços (e paguei adiantado!) com 2 meses e meio de antecedência…

  21. Adorei seus relatos e qdo consultei o site do hotel que vc ficou eu lamentei muito não ter conhecido seu blog antes para agenda-lo para minha viagem a NY no proximo mes.Agora ele não tem vaga( e o valor tb esta bem alto)
    Só fiquei sem entender seus calculos de custo para as 9 noites:
    vc mencionou o valor de $1577, mas pela descrição dos gastos esse valor foi ultrapassado…não bateu!
    bjs

  22. Kaka, é só somar: 728 + 514 + 225 + 65 + 45 = 1577. Conforme está explicado no texto do post: “Além disso, fizemos um seguro de saúde por US$ 40 por pessoa, e compramos ingressos para ir ao teatro ver 3 espetáculos, em um total de US$ 166 por pessoa – não estou computando esses gastos nem o valor das taxas de embarque, cerca de R$ 235,00, no valor total da viagem.” Dentre esses itens que eu não computei, o único que por vezes vem incluído no valor dos pacotes é o seguro-saúde. Não incluí esses gastos no cálculo para poder comparar melhor o preço do meu pacote com os pacotes anunciados. Entendeu agora?

  23. ah,ta entendi!!!
    é que acabei somando tudo pq como vamos em casal, o gasto acaba sendo um só.
    E vc ainda teve a vantangem (enorme) de não ficar nos hoteis de pacote que oferecem quartos minimos!!!
    Sem duvida excelente opção.
    Vc conhce o Hotel Park Central?
    Ro numa aflição qto a hotel…
    bjs

  24. Kaka, eu calculei o preço do “pacote” por pessoa, como são os preços dos pacotes das operadoras normalmente.

    Eu nunca fiquei hospedada no Park Central, não… Mas gostei da fachada dele, e a localização também é excelente! 😉

  25. Oi Carla,
    Eu de novo!!!
    viajo depois de amanha e ainda nao fechei o transporte do aeroporto ao hotel.Comentei com meu marido da sua dica de alugarmos um carro para ir ao Outlet, ja que chegaremos bem cedinho com vc.
    Queria saber se é muito distante o Woodbury do aeroporto e se foi dificil de chegar?qto tempo vcs levaram?
    Que horas vc sairam do Woodbury para o hotel e em quanto tempo chegaram?Pegaram engarrafamento?
    qual o site q eu vejo a opção do helicóptero e da Limosine?no proprio hotel?
    bjs e obrigada
    deculpe por tantas perguntas
    deculpe tantas perguntas!!!

  26. Kaka, lembre-se que nós chegamos por Newark, Ok? Não sei se você vai chegar pelo mesmo aeroporto. Fomos até o Woodbury em pouco mais de 1 h. Caso vocês se decidam a fazer o mesmo, aluguem um carro com GPS! Saímos do Woodbury no fim da tarde e, sim, pegamos um pequeno engarrafamento na ponte para Manhattan, mas nada demais. Demoramos cerca de 1h 15 para chegar ao hotel.

    Vi o transporte de helicóptero no site da Continental. Cheguei a pesquisar a limusine na Dial 7 http://www.dial7.com , mas achei o processo meio chato, parece que você tem que telefonar pra eles na hora em que chegar ao aeroporto.

  27. Oi Carla,
    Obrigada pelas respostas!!!Ñossa nem tinha me tocado que vc tinha chegado por Newark.Voce acha então que não compensa se fazer esse esquema chegando pelo JFK?
    To meio perdida qto a localização
    A noite ja temos ingressos pra Brodway comprado.
    To temerosa se vai dar tempo ou não!
    bjs

  28. Não, pelo JFK acho que não vale a pena, não… A questão, Kaka, é que Newark fica em New Jersey, a oeste de Manhattan. Você sai do aeroporto e segue para o norte. O JFK fica no Queens, a leste de Manhattan, ou seja, do lado oposto. Não faço a menor idéia de quanto tempo você gastaria para ir até o outlet, mas acredito que daria umas 2 horas ou mais, cruzando Manhattan… Sei não, me parece roubada! Se vocês vão à Broadway no mesmo dia, então, tanto mais preocupante. Eu faria o esquema tradicional. Chegaria ao hotel, deixaria as malas, iria passear, voltaria na hora do check-in, tomaria um bom banho, descansaria um pouco e iria para o meu teatro feliz da vida… 😉

  29. Oi Carla,
    Voltei aqui pra te dar um feedback da nossa viagem, já que suas dicas foram bastante uteis pra mim, principalmente a do aluguel do carro para o outlet logo na chegada.
    Como te falei, chegamos pelo JFK e decidimos arriscar e alugar o carro para o Woodbury e foi excelente!
    apesar de no mapa o Woodbury ficar a leste de Manhattan, existe uma via que faz o trajeto de aproximadamente uma hora at̩ o outlet.Recebemos essa orienta̤̣o da senhora da Avis, na hora da retirada do veiculo.O trajeto foi super tranquilo(com um pouco de transito na volta, mas nada demais) e ainda matamos dois custos o do transporte aeroporto РManhattan e o transporte para o outlet que fariamos em outro dia.

    O único vacilo foi que como ficamos com medo do trajeto ser inviável não alugamos o carro com antecedencia.Achamos tarifas ótimas em carros grandes( que meu marido, uma afixionado por carros, adoraria dirigir) on line.
    Na loja do aerporto as tarifas estavam bem mais caras…mas mesmo assim valeu a pena.
    Estamos embarcando mês que vem novamente, dessa vez o destino é Boston(congresso de trabalho do meu marido) e estamos cogitando a ideia de irmos por NYC um fim de semana antes…as pessagens e o hotel é que estão com preços desanimadores…

    Bom, muuuuuito obrigada pelas dicas preciosas que ajudaram demais nossa viagem!
    bjs

    1. Ola, sei que a viagem de voces foi em 2009, mas me interessou esta opcao deste trajeto alternativo ate o Woodburry. Nao consegui achar pelo google, e como gosto de estar certa de tudo antes de uma viagem, queria saber se vcs ainda lembram por onde foi. Ja fui 2 vezes a NY, mas fui somente 1 vez ao Woodburry de onibus. obrigada

  30. Oi, Carla! É minha primeira vez nos “states” e estou lendo todos os blogs dos trips que encontro.

    Me diz uma coisa: vale mesmo a pena ir no Woodbury? Os preços e principalmente, os produtos são interessantes?

    Abs

  31. Priscila, eu acho que depende do quanto você goste de comprar… Os preços são, sim, sensacionais – mas, como em todo outlet, eu acredito que não seja possível garantir que você vá encontrar produtos que te interessam. Só posso te dizer que não me decepcionei! 😉

    Por outro lado, eu só fui ao Woodbury na minha 5a. vez em NYC – e nem foi por escolha própria. Acho a opção válida principalmente se você gostar de comprar e/ou tiver tempo disponível. Mas, se não for o caso, eu não sacrificaria outras atividades para encaixar o Woodbury, não.

  32. Tenho tanta vontade de voltar a NY!
    Uma dúvida: pode-se dirigir nos EUA com a nossa carteira de habilitação?? nao é preciso uma carteira internacional nao?

  33. Rafa, com visto de turista voc̻ pode dirigir nos EUA por at̩ 3 meses com a nossa carteira de habilita̤̣o Рmas se voc̻ tiver outro tipo de visto (como quando se vai fazer interc̢mbio, por exemplo) ̩ preciso ter a internacional.

  34. Carla,
    Muito bom ler seus relatos de NY!
    Dá mais vontade ainda de conhecer esse lugar…
    Vc tem o contato dessa limusine que transportou vcs até o aeroporto?

    1. Infelizmente não tenho o contato, Fernanda. Contratamos a limo diretamente com o motorista, em frente ao Salisbury Hotel, na rua 57.

  35. Oi Carla, li seu blog de “cabo a rabo”. Obrigado pela iniciativa, sei como é isso… Morei em Londres e fiz um blog onde várias pessoas me procuravam atrás de dicas.

    pretendo fazer o mesmo e já vi o aluguel do carro Minivan (140$). gostaria de saber se a estrada é tranquila de dirigir. Vou fechar pelo La Guardia e pelo google maps, fica há uma hora e 15 min.

    Espero que possa me retornar…

    Fabio – fbaiao@hotmail.com

  36. Que ótimo esse artigo! Estava pesquisando no Google e esse texto apareceu! Adorei ler ele! Estou preparando uma viagem a NY e então ele deu uma boa ajuda :) E o blog me parece bem legal, vou ler um pouco mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>