Salisbury Hotel, a pérola

Na minha opinião, uma das características mais interessantes do Salisbury Hotel é a localização – em plena Rua 57, a 2 quadras do Central Park, entre a 6a. e a 7a. Avenidas.  A Rua 57 é uma das mais movimentadas dessa parte de Manhattan, o que pode vir a ser um aborrecimento caso o quarto reservado seja de frente… Por outro lado, como o hotel está situado em uma das artérias novaiorquinas, o transporte nas imediações é sempre fácil e abundante. Ao sair do hotel, pode-se caminhar tanto para a esquerda quanto para a direita – em ambas as esquinas há uma estação de metrô. Por US$ 25, pode-se comprar um Metrocard com validade de 1 semana, e usá-lo em viagens ilimitadas tanto de metrô quanto de ônibus.

Movimento na 57th Street

Movimento na 57th Street

A fachada do hotel é super simples. Descobri lá mesmo, por meio de um dos recepcionistas do hotel, que o edifício costumava ser residencial antes de ser transformado em hotel. Talvez isso ajude a explicar o tamanho dos quartos… 😉

A fachada do Salisbury Hotel

A fachada do Salisbury Hotel

Logo ao chegar, fui surpreendida com um upgrade! Eu havia reservado um quarto standard, via Expedia, mas recebemos um belíssimo presente: uma king suite!!! No momento em que entrei na nossa “mansão suspensa”, o único pensamento que me ocorria era “eu não fazia idéia que isso existia em Manhattan!”…

O custo para nós foi o que pagamos no Expedia, cerca de US$ 146/dia. Perguntando na recepção do hotel, nos disseram que a diária do quarto standard, ao se reservar diretamente no hotel, é US$ 175 mais as taxas, para até 2 pessoas; a suíte, US$ 265 mais as taxas, para até 4 pessoas.

Tínhamos uma ante-sala…

A ante-sala da suíte

A ante-sala da suíte

… junto a uma pequena cozinha, com pia, frigobar, microondas e cafeteira:

A mini-cozinha

A mini-cozinha

A sala era enorme, e ainda recebemos um mimo: a New York Magazine da semana! 😉

A sala

A sala

O sofá pode se transformar em uma cama queen – no caso da suíte, a partir do quinto hóspede há um acréscimo de US$ 30 na diária.

Outro ângulo da sala

Outro ângulo da sala

O cantinho-escritório

O cantinho-escritório

Reservei o nosso quarto com uma cama king size, mas é possível pedir duas camas de casal. E nem acreditei quando vi o espelho de corpo inteiro na porta de um dos armários (eram 3!!!). Raridade das raridades…

O quarto

O quarto

Outro ponto alto: o banheiro era impecável, a ponto de merecer duas fotos…

O banheiro

O banheiro

A banheira

A banheira

Eu tinha lido várias e várias resenhas no Trip Advisor a respeito do Salisbury. Concluí que não são exageradas, a maioria foi mesmo bastante justa. Me lembro que os pontos negativos levantados eram o barulho da rua (que felizmente não nos incomodou, pois as suítes são de fundos), a lentidão dos elevadores (que driblamos usando as escadas sempre que íamos descer) e a decoração antiquada (é antiquada mesmo, mas tudo é tão bem cuidado que nem liguei…)

Os pontos mais positivos, na minha opinião, foram o serviço de excelente qualidade, o café da manhã servido no próprio hotel (não incluído na diária, mas a módicos US$ 4 – só de não ter que sair no frio com fome…), o tamanho e o cuidado dos quartos, além, claro, da localização espetacular.

Ah, sim, depois perguntamos também porque resolveram nos conceder um upgrade… E, não, não foi porque o Idas & Vindas está ficando famoso no exterior e quiseram me agradar… 😉 Me explicaram que, sempre que há suítes disponíveis, eles procuram oferecê-las aos hóspedes que estejam pagando sua própria estada. Achei uma forma simpaticíssima de ganhar a fidelidade do cliente – nem preciso dizer que ganharam a minha! 😀

23 thoughts on “Salisbury Hotel, a pérola

  1. Pingback: [Weektips] Salisbury Hotel, NYC Nova Iorque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *