A volta dos que não foram…

Passaportes1

Parece brincadeira, mas só hoje eu senti na pele o que essa frasezinha do título significa na prática…

Hoje eu estou onde não deveria estar – em casa, em frente ao computador, acabando de chegar da aula de francês, quando deveria estar jantando em um restaurantezinho bem gostoso na Recoleta… Pois é, eu deveria ter ido para Buenos Aires hoje pela manhã, e não fui.

Não dizem que para tudo tem uma primeira vez?!? Pois essa foi a primeira vez em que eu fui para o aeroporto acreditando estar com tudo absolutamente certo para viajar e não estava – foi a volta para casa dos que não foram para Buenos Aires!

Vamos aos fatos: eu tinha escolhido Buenos Aires como destino para comemorar a defesa do meu doutorado (que foi 4a.f. passada! 🙂 ) justamente porque não via necessidade de me planejar com antecedência, nem de pesquisar nada, uma vez que me viro bastante bem por lá. A idéia era levar o Jonas, meu sobrinho de 6 anos, para um passeio diferente, com os meus pais junto, claro, pra dar uma força.

Pois bem, vou repetir pra mim mesma o meu eterno mantra: toda viagem pede planejamento, por mais simples e fácil que pareça. Dessa vez, eu não fiz o meu dever de casa. Não vou atribuir culpa ou responsabilidade a ninguém, muito menos a mim mesma por não ter feito uma investigação e um planejamento mais cuidadosos às vésperas da defesa. Mas o fato é que o meu bom planejamento usual provavelmente teria evitado a nossa decepção de hoje.

Continuando a história: quando decidimos viajar, simplesmente não atentei para o fato de que a atitude mais sensata a tomar teria sido providenciar um passaporte para o pequeno, independente de acordos com os países vizinhos, Mercosul, etc. Deveria ter feito com ele como sempre faço comigo mesma: documento para viajar é passaporte, e pronto. Ao contrário, confiei na informação do Juizado de Menores, de que bastava o original da certidão de nascimento acompanhada da autorização dos pais com firma reconhecida por autenticidade (por semelhança não serve). Vejam o tamanho da roubada: ele até teria permissão para sair do país com essa documentação, mas não para entrar na Argentina!!!

Eu não sei se seria obrigação do Juizado de Menores saber que ele não poderia entrar em outro país com esses documentos; também não sei se a companhia aérea teria a obrigação de me avisar. Mas uma coisa é certa: talvez se eu estivesse com a cabeça um pouco mais descansada eu tivesse lembrado de perguntar na companhia aérea, no consulado argentino, não sei… Fica a lição: com passaporte não tem erro! 😉

Por isso, hoje eu não estou jantando na Recoleta, nem curtindo um friozinho portenho… Pelo contrário, passei o dia às voltas com mil burocracias para o adiamento da viagem, troca de datas da reserva do apartamento (a BytArgentina foi ótima, trocou as datas sem me cobrar nada!), e mil formulários para fazer o passaporte do Jonas. Mas, no fim das contas, quando passar a decepção (ele se acabou de chorar no aeroporto, e eu quase chorei junto…), vamos  fazer planos para curtir Buenos Aires em outubro com e como crianças!!! 😀

Para informações sobre a documentação necessária, formulários, pagamento de taxa e locais para a emissão de passaportes, visite o site da Polícia Federal.

Passaporte_menores

Importante: Acabo de encontrar a seguinte recomendação no site da Sakuratur:

O novo passaporte brasileiro (de cor azul) não registra filiação do viajante (não constam os nomes dos pais). Portanto, os menores de idade, viajando ou não acompanhados dos pais, além do passaporte válido, também deverão apresentar no check in o RG ou certidão de nascimento originais. Isso é necessário para se comprovar a filiação.

Mais uma informação que eu não tinha encontrado em nenhum outro lugar – na dúvida, melhor prevenir e levar logo tudo… 😉 Lembro que, caso a criança viaje sem o pai ou a mãe, precisa levar a autorização com firma reconhecida por autenticidade – o passaporte, RG ou certidão não substituem essa autorização!

Atualização: Não é que o Jorge Giramundo Bernardes já tinha atentado para essa ineficiência do passaporte azul? Veja o post dele sobre o assunto aqui… 😉

34 thoughts on “A volta dos que não foram…

  1. Nossa, Carla! Acho que por essa ninguém esperava! Mas ainda bem que você conseguiu remarcar a viagem. E agora vai ter mais tempo para planejar a viagem com a cabeça descansada e assim ela vai ser ainda melhor! 🙂

    Parabéns pela tese! Aproveite bastante essa fase pós “alforria”. 😉

    Beijos!

  2. Nossa, Carla! Que pena… 🙁

    Engraçado, pois eu também tinha esta informação de que basta o documento de identidade e a autorização dos pais para a criança viajar. Meus irmãos de 13 e 11 anos foram me visitar em Buenos Aires e quando me informei me falaram isso. Como eles não tinha identidade ainda, achamos melhor fazer logo o passaporte deles. Foi a nossa sorte então! Senão teria acontecido isso que aconteceu com vocês.

    bjos!

  3. Meninas, obrigada pela solidariedade! 😉 Ainda estou numa decepção danada, mas já comecei a pensar no lado bom – mais tempo para planejar, clima mais ameno… E agora o Jonas está entusiasmadíssimo porque vai hoje vai fazer a carteira de identidade (tá se sentindo todo importante!) e no início da semana o passaporte. Mas o que me deixa bem danada é saber que não se pode confiar nas informações que recebemos…

  4. Puxa, Carla…que peninha! Mas, pelo menos (se serve de consolo) fica o alerta para os demais viajantes! Eu mesma achava que bastava o passaporte…mas, sem filiação, teremos que levar certidões tb! Bem, tenho certeza que em outubro sua viagem será muito mais divertida! Bjos 😉

  5. Carlinha, eu sinto pacas!!!

    No entanto, sempre acho que era porque deveria ser assim. Outubro será muuuuuito melhor!

    Outra coisa que fiquei curiosa: o que é esse passaporte de emergência?? rs

    Beijos…semana que vem estarei no Rio, estou tentando um jantarzinho na 5a.

  6. Carla, que momento, nossa… O lado bom é que você aprendeu e através da sua informação muitos podem evitar esse sufoco.

    Carla, estou embarcando dia 05/09 para fazer o circuito Lagos Andinos By Carla Idas e Vindas, só agora nos demos conta de que nenhum dos 03 PAXs tem carteira de motorista internacional. No Chile é indispensável? Se for, não poderemos alugar o carro e montaremos um plano B, indo de ônibus, trem, o que for possível. Temos hotéis reservados em Chillán, Valdivia e Puerto Varas, então avião está fora das opções.

  7. Oi Carla boa noite, preciso falar com vc sobre uma nova comunidade em portugues pra promoçionar Brasil, mais nao encontro seu email

    Desculpas meu portugués mais sou espanhola. Abraço e obrigada. Vanessa

  8. Paula*, o que acontece é que, no novo passaporte, a filiação vem numa área hachurada, e só pode ser lida com uma maquininha especial – que ninguém tem, né? Ou seja, o jeito é levar a certidão para “complementar” o passaporte… Afinal, burocracia pouca é bobagem! 😉

    Mô, eu também acabo pensando assim – se não foi agora, é porque não era pra ser mesmo! E agora já me acostumei com a idéia de ir em outubro – vai ser mais divertido, sim! 😀

    Gente, ontem eu estava arrasada… Mas escrever o post foi um bom desabafo – e se a experiência servir mesmo para ajudar a outras pessoas, já é muito bom!

    Rosa, não precisa se preocupar com a carteira internacional, não! Basta ter a carteira de motorista brasileira dentro da validade – um turista pode dirigir com ela por até 3 meses na maior parte dos países, inclusive o Chile.

    Vanessa, você pode entrar em contato comigo pelo email carla@idasevindas.com.br 😉

  9. Mô, já ia esquecendo de te responder… O passaporte de emergência é emitido pela Polícia Federal apenas em alguns casos específicos quando a pessoa não tem como esperar o prazo normal de emissão, como tratamento de doenças, falecimento, trabalho. Nesses casos, o passaporte fica pronto em 1 dia apenas, mas custa mais caro e vale só por 1 ano.

  10. Primeiramente, parabéns pelo doutorado! Novela com final feliz! Parabéns!

    Partindo para essa outra novela, que coisa! Achei que bastasse um documento de identificação e a autorização dos pais. Poxa, deve ter sido uma situação horrível. É como ir pra Disney e o parque estar fechado.

    Bom, pelo menos você conseguiu resolver tudo. Apreveite a delícia do planejamento e se jogue em outubro. Conte tudo aqui, pois vou no feriado de finados.

    Bjs!

  11. Obrigada, Alexandre! Foi uma novela com final feliz, sim! 😀 E agora já estou trabalhando para que a outra novela também tenha o seu final feliz, porque a sensação foi bem essa mesmo, de dar de cara com o parque fechado…

  12. Carla, Parabéns pela defesa! Que alívio, não?

    Apesar de toda a confusão, muito bom saber que você já está ajeitando tudo para ir em outubro! Tenho certeza que será ótimo! Agradeço de antemão todas as informações! Tenho uma sobrinha, muito pequena ainda para essas aventuras, mas com quem certamente devo viajar sozinha qualquer dia!

    Quando fui com minha mãe para Buenos Aires, ela quase foi barrada lá. O passaporte dela havia vencido e eu não tinha me dado conta. Entretanto, como em todos os lugares onde pesquisei a informação era que ela poderia entrar com o RG, fomos tranquilas. Aqui no Rio nenhum problema, mas em Buenos Aires não queriam deixá-la entrar, pois a carteira de identidade dela era do Instituto Pereira Faustino e não tinha escrito “República Federativa do Brasil”. Além disso, havia sido emitida há mais de 10 anos atrás. Não sei como a deixaram entrar, acho que foi a cara de total decepção que ela fez que amoleceu o coração da agente que nos atendeu… Depois dessa, mesmo podendo usar o RG (ela fez um novo), viajamos só com o passaporte.

    Parabéns e curta a alforria!

    Abç,

  13. Carla, “se a vida lhe dá um limão, faça uma limonada”: o post ficou ótimo, muito informativo!

    No final das contas, vai ser ótimo ir em outubro, teu sobrinho vai ganhar um super presente de dia das crianças.

    Agora, o mais importante: PARABÉNS pela tese, doutora! Eu não sabia que vc já tinha defendido…

  14. Fernanda, obrigada pelo link!

    Lu e Wanessa, vocês não têm noção do tamanho do alívio, meninas… 8) Eu ainda estou às voltas com os trâmites finais de impressão das cópias oficiais, encadernação, etc – mas essa é a parte fácil, né? Ainda vou fazer um postzinho comemorativo da defesa, porque esse doutorado foi tão falado e comentado aqui no I&V que preciso fechar essa etapa com fecho de ouro! 😀

    Lu, eu sempre digo que pra viajar com tranqüilidade, o melhor documento é o passaporte – esses acordos de documentação sempre deixam muita margem para interpretações e decisões subjetivas… Quando você decidir viajar com a sua sobrinha, não deixe de providenciar o passaporte dela – para crianças acima dos 4 anos, a validade é a mesma do passaporte de um adulto, vale o investimento!

  15. Primeiramente parabéns pelo doutorado!!!

    Eu já tive problema parecido com o meu sobrinho, e varias informações desencontradas sobre a documentação necessária, na dúvida fizemos o passaporte. Não dá para confiar na seriedade de quem dá as informações.

    Estou torcendo para a sua viagem em outubro e os posts deliciosos que voce fara.Tambem estarei lá em outubro.

  16. Parabéns pela defesa, uau DOUTORA! Eu (ainda!) estou revisando e formatando, espero entrar para o clube “muy pronto”. Acho que depois de terminar a tese, nem ser barrado no aeroporto tira tua felicidade!

    Beijos

  17. Queridos, obrigada pelo carinho! 😉 Agora preciso retribuir atualizando o I&V com mais freqüência…

    Bernardette, essas situações são mesmo impressionantes, né? Se ao menos tivéssemos recebido informações desencontradas, acho que teria caído a ficha e eu teria investigado melhor – mas tudo parecia absolutamente certo, por isso relaxei…

    Eu tou bem assim, Patricia!!! 😆 Nem barrada no aeroporto eu paro de rir à toa… Logo, logo vai ser a sua vez – estou aqui na torcida! 😉

  18. Carla,

    Ler esse post me fez lembrar do dia que perdi um vôo para Nova York… consegui remarcar para o dia seguinte, mas a sensação de vazio daquele dia é inexplicável.

    De qualquer forma, muito obrigado pelas informações que são realmente muito úteis!

    …só fiquei com muita peninha do teu sobrinho… o que será que passou pela cabeça dele?

    Abraço!

  19. Junior, é um vazio horrível mesmo, né? Pra mim já foi péssimo e pra ele, então, foi uma frustração sem tamanho! Mas agora ele já está curtindo os preparativos pra nova viagem. Outro dia foi fazer a carteira de identidade e, na volta, perguntou pra minha irmã: “Mãe, então agora eu já sou adulto?” 😀

  20. Puxa, que chato!! Ainda bem que vc conseguiu contornar tudo sem despesa extra e em outubro vc estará lá para comemorar em grande estilo! ;))

    Abraços e boa viagem!!

    Ah, parabéns Dra!!!

    FÊ Costta – Viaggio Mondo

  21. Obrigada, Fê! Até que tivemos uma despesa extra, sim – a multa por remarcar e uma diferença tarifária… Mas na hora eu entreguei o cartão de crédito e procurei abstrair – era melhor do que desistir de viajar, né? 😉

  22. Gostaria de saber o procedimento para viajar para Bs As com os pais.Necessário passaporte também?Grata.

  23. Ana, existe um acordo entre Brasil e Argentina que dispensa os cidadãos dos dois países de apresentar o passaporte. Pode-se viajar com a carteira de identidade (de órgão de segurança pública, não serve carteira de conselho profissional ou da OAB, por exemplo), desde que seja válida em todo o território nacional, com no máximo 10 anos desde a data de emissão e foto em que a pessoa possa ser facilmente reconhecida. No caso em que a criança viaja com ambos os pais, não é necessário apresentar a autorização do Juizado de Menores, mas não há dispensa do passaporte ou da carteira de identidade. Vale lembrar que, no caso de apresentar o passaporte, é importante levar também a certidão de nascimento original ou a carteira de identidade para comprovar a filiação.

  24. Gracinha do Jonas, tirando RG agora deve estar se achando. Merece, depois de sofrer no “não-embarque”… Eu com essa idade, se me acontecesse isso, iria chorar uma semana 😥

    Aliás, lembrei do meu primeiro vôo de avião: foi com 8 anos, SP/RJ, no Electra!!! Fiquei todo bobo…

  25. Arthur, a sorte é que a minha irmã resolveu ir pra Friburgo com ele no feriado, então ele se distraiu… E hoje foi fazer o passaporte, então está todo importante mesmo… 😉

  26. Valeu a explicação, muito grata!Estarei em Bs As de 09 a 13/10, com a filhota de 13 aninhos.Bjs.Ana.

  27. Jéééésuis! Eu teria tido um siricotico, pelo menos na hora! Mas como só consigo ver pelo lado bom, o legal é ter conseguido remarcar a viagem, sem grandes transtornos. Também acredito que se não era para ser… Por coincidência, há duas semanas publiquei sobre o passaporte da minha bebê (um ano e três meses). Ficou pronto em dois dias. Fui informada que se ela tivesse o RG (nosso ideia é visitar o Chile) não haveria problema. O detalhe é que se eu quiser ir para outro lugar (que não seja o Mercosul) só o passaporte seria válido. Assim, já tirei o documento-mor. Muito esclarecedor seu post. Só para complementá-lo, publiquei em maio sobre “Documentação necessária para viajar com crianças”: http://matraqueando.blogspot.com/2009/05/documentacao-necessaria-para-viajar-com.html

    É que como sou marinheira de primeira viagem no quesito “criança” ando estudando sobre o tema. Hehehe” Bjs!

  28. Silvia, a minha vontade era mesmo ter um siricotico… 😆 Mas também procuro ver pelo lado bom, e pensei que não era mesmo pra ser naquele momento…

    Agora o pequeno já tirou o RG e o passaporte – não vai ser por falta de documentos que vai ficar sem viajar!!! 😀

    Valeu pelo link – quanto mais informações para esclarecer as dúvidas de todos, melhor!

  29. Carla, passei pela mesma situação no dia 9 de outubro, o marido da minha amiga e portugues e foi informado na Policia federal que poderia viajar so com a carteira Nacional de estrangeiro . por ser portugues tinha os mesmos direitos que os brasileiros. Claro que nao embarcou, e na hora como dizia minha mae , filho feio não tem pai, ninguem confirmou o que tinham dito e minha amiga teve de viajar sozinha. Voce esta certissima, meu marido sempre diz isso, documento para viagem internacional e passaporte.

  30. Nada como a experiência, né, Bernardette? Eu agora não confio mais nessas informações – o passaporte tem que estar sempre atualizado, assim não tem erro! 😉

  31. Pingback: Meu segundo endereço portenho » Idas e Vindas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *