Pelos jardins…

O dia seguinte amanheceu lindo – aliás, tivemos muita sorte com o clima ao longo da semana, choveu apenas uma manhã! Fazia um friozinho bem gostoso, o céu estava azul e não havia o menor sinal de chuva, ou seja, era um dia perfeito para ir passear ao ar livre.

Começamos o dia tomando o nosso café da manhã em um local já bem conhecido meu: o Café del Pilar, onde eu já tinha ido várias vezes ano passado. Depois de comprovar que o café continua uma delí­cia, tomamos um táxi para o Jardín Japonés.

O Jardín Japonés, visto do 2o. andar do centro cultural

O Jardí­n Japonés, visto do 2o. andar do centro cultural

O Jardí­n Japonés é um dos meus recantos preferidos dos Bosques de Palermo – rivaliza apenas com o Patio Andaluz e o Rosedal… 😉 Dessa vez, como fomos na primavera, ele estava especialmente bonito. É um lugar onde eu vou sempre que estou em Buenos Aires – em todos esses anos, acho que só deixei de ir uma vez! Pra mim, nunca vai ser um lugar pra dar por visitado – é pra chegar sem pressa, curtir a beleza do jardim, deixar passar o tempo… Há mesmo um restaurante japonês lá dentro, para os apreciadores (entre os quais eu não me incluo… ) Lá as crianças não entram de graça, mas o ingresso delas custa apenas $1 – o ingresso para os adultos custa $5.

Dessa vez, a visita começou diferente… Gosto de observar e fotografar as carpas nos lagos, mas nunca tinha me ocorrido comprar comida para elas, que sempre me pareceram super alimentadas. Mas era exatamente isso o que interessava ao Jonas fazer, então seguimos o mapa para chegar até o vivero, onde há saquinhos de comida para peixes à venda por $3.

Mapa do Jardín Japonés

Mapa do Jardí­n Japonés

Comidinha para os peixes...

Comidinha para os peixes…

Alimentando as carpas...

Alimentando as carpas…

As famintas!

As famintas!

Saí­mos do Jardí­n Japonés no fim da manhã, e seguimos a pé pela Avenida del Libertador em direção ao Parque de Palermo. Querí­amos visitar o Rosedal, mas chegando lá, vimos que o acesso estava fechado naquele dia. Mudamos os planos imediatamente, e decidimos aproveitar o dia bonito no Jardí­n Zoológico.

Como tinhamos tomado café da manhã meio tarde, resolvemos trocar o almoço por um lanche, aproveitando que estávamos em um ótimo lugar para curtir uma das mais deliciosas comidinhas de rua portenhas – o choripan. O choripan é um sanduiche de pão com lingüiça, normalmente servido com molho chimichurri – o nome vem dos ingredientes, chorizo (ou seja, lingüiça) e pan. Os quiosques de choripan são muito comuns na região do Parque de Palermo e na Costanera Sur.

Fonte: We are Never Full (http://www.weareneverfull.com/you-can-keep-your-hot-dogs-make-mine-a-choripan)

Fonte: We are Never Full

Fonte: My Gourmet Online

Fonte: My Gourmet Online

O segundo passeio do dia foi o Jardin Zoológico, onde o ingresso das crianças também é gratuito. Para os adultos, pode-se comprar o ingresso simples, a $12, ou o Pasaporte, a $ 22, que dá direito a visitar também o cinema 3D, a selva subtropical, o reptilário e o aquário. É possí­vel também pagar o ingresso isolado para cada uma dessas atrações, a $6 – e as crianças continuam entrando de graça… 😉

Observando de perto...

Observando de perto…

Eu e o Jonas fizemos uma visita também ao reptilário, onde ele amou ver as cobras (e eu nem tanto, claro…), as tartarugas e os filhotes de jacaré…

Essa senhora tem 109 anos de idade!

Essa senhora tem 109 anos de idade!

Não são lindos os filhotinhos de jacaré?

Não são lindos os filhotinhos de jacaré?

Pose em frente ao elefante...

Pose em frente ao elefante…

A elegância do tigre branco...

A elegância do tigre branco…

Enfim, o rinoceronte!

Enfim, o rinoceronte!

Lindo! Mas precisava ser tão exibido? ;-)

Lindo! Mas precisava ser tão exibido? 😉

No fim da tarde, tomamos o metrô de volta pra casa. Depois, saí­mos para fazer umas comprinhas básicas, já que a previsão do tempo dava chuva para a manhã seguinte, e decidimos preparar o café da manhã em casa mesmo.

Mais tarde, curtimos um jantarzinho calmo ali no La Strada, próximo ao Village Recoleta – a quadra inteira está super deprimente, com vários lugares fechados. Tudo bem, a região já não era point há algum tempo, mas agora está mesmo com cara de “atrás do cemitério”! Por fim, fomos em busca de um Freddo onde houvesse variedade de sabores para agradar ao pequeno, que queria um sorvete de menta com baunilha… A figurinha não gosta de sorvete de chocolate, ou doce de leite, ou qualquer desses sabores mais comuns – pode, uma criança que não toma sorvete de chocolate?!? 🙄

34 thoughts on “Pelos jardins…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *