Norwegian Sun – Entretenimento

Várias vezes me passou pela cabeça que os dias de navegação seriam de um tédio quase absoluto, principalmente por causa do frio, que anularia as grandes diversões ao ar livre – piscinas, jacuzzis e quadras de esportes…

Piscinas e jacuzzis apenas nos primeiros dias...

Piscinas e jacuzzis – apenas nos primeiros dias…

A quadra quase sempre vazia...

A quadra quase sempre vazia…

Em relação às opções de lazer ao ar livre, eu não estava mesmo enganada. Apenas no dia do embarque e no dia seguinte, ou seja, em Buenos Aires e Montevidéu, havia tempo bom – aliás, fazia um calorão daqueles! No 3o. dia tomamos o rumo da Península Valdés, e o calor começou a dar espaço a um ventinho frio que não cooperava nadinha com quem queria aproveitar a piscina…

Foi nesse dia que eu percebi a importância do lazer a bordo, que, diga-se de passagem, curti horrores!!! Só pra deixar bem claro: eu sou daquelas pessoas que detesta atividades coletivas, programadas ou não, e que tem verdadeira alergia a grupos… 😳 E a minha visão – bastante preconceituosa, sou a primeira a admitir – associava lazer a bordo apenas com gincanas e afins… 😯

Pois bem, fui agradavelmente surpreendida! Descobri que podia começar os meus dias com aulas de alongamento e ginástica na academia, e ainda poderia caminhar na esteira, com vista para o mar! Decidi que começaria assim todos os dias de navegação – claro, não ia desperdiçar tempo em terra firme nos dias de porto… 😉

A biblioteca tinha livros em português!

A biblioteca tinha livros em português!

E a biblioteca do navio era o máximo!!! Havia livros em diversos idiomas (claro, com mais de 60 nacionalidades diferentes a bordo…), a maioria em inglês e espanhol, mas também em francês, alemão, italiano e até em português! O empréstimo era válido por todo o perí­odo do cruzeiro – e o povo lia mesmo! O que mais se via era gente grudada nos livros pelos cafés, bares, na academia, na beira da piscina… Todos os dias também havia jogos à disposição, como palavras cruzadas e sudoku – era só passar na biblioteca e buscar os joguinhos. Passei 15 dias viciada em sudoku… 😉

Nos fundos da biblioteca havia mais duas salas – uma especí­fica para jogos de cartas (que eu não gosto…) e uma com um telão, onde passava ao menos um filme por dia. A pegadinha é que os filmes normalmente eram em inglês, e sem legendas! Em alguns horários, até passavam as versões dubladas em outras línguas, como francês, alemão, espanhol e português. Mas, nessa hora, quem sabe inglês acaba se divertindo mais…

Duas outras opções disponíveis quando o navio estava em alto mar eram o cassino e as lojas…

O cassino meio de longe - não é permitido fotografar lá dentro...

O cassino meio de longe – não é permitido fotografar lá dentro…

Duty-free, souvenirs, joalheria…

Mas o ponto alto para mim foi a música. Rolava música no navio o dia inteiro – contei CINCO pianos de cauda a bordo!!! Sempre havia alguém tocando um piano em algum bar, à noite íamos ver os shows no teatro, ouví­amos mais piano nos restaurantes e ainda cantores e músicos novamente nos bares.

Observation Lounge - o mar visto de camarote

Observation Lounge – o mar visto de camarote

Logo nos primeiros dias fomos parar no Observation Lounge, um bar no Deck 12, com vista privilegiada. E era lá que quase todos os dias eu ia ouvir o Michael Eldridge, pianista de mão cheia, especialista na “época de ouro” da canção americana… 😉

Michael Eldridge no Observation Lounge

Michael Eldridge no Observation Lounge

O teatro também era uma opção bem bacana. A maioria dos shows me agradou – um ou outro eram bobinhos, uns showzinhos de humor bem à americana, e outros descambaram para o cafona total mesmo… Mas a maior parte foi ótima – vi uma apresentação de uma flautista excelente, um show de acrobacia que não devia nada à Intrépida Trupe e uns espetáculos de dança sensacionais também… Pena que não se pode fazer fotos durante os shows, então só tenho fotos do teatro vazio – e teatro vazio é sempre meio triste…

Stardust Lounge - o teatro do Norwegian Sun

Stardust Lounge – o teatro do Norwegian Sun

Teatro vazio me dá uma tristeza... :-(

Teatro vazio me dá uma tristeza… 🙁

Às vezes í­amos jantar antes do show, outras vezes depois (sim, os horários são livres, mas isso eu conto outra hora…) Depois de alguns dias ficou até meio difícil encontrar horário pra jantar, tantas eram as atrações que eu queria ver! 😀

O último point da noite para mim era invariavelmente o Windjammer Bar, para ver o Trio Paula Koropecki – um grupo argentino super talentoso. Eles transitavam com a maior desenvoltura do bolero ao tango, passando pela bossa nova e o que mais viesse pela frente…

Windjammer Bar - meu fim de noite!

Windjammer Bar – meu fim de noite!

O Paula Koropecki Trio em cena

O Trio Paula Koropecki em cena

Para quem curte, a diversão se prolongava noite adentro na Dazzles – a boate do navio…

Let's be dazzled... :-)

Let’s be dazzled… 🙂

Comecinho de noite na Dazzles

Comecinho de noite na Dazzles

Mas essa, definitivamente, não é a minha praia, não… 😉

19 thoughts on “Norwegian Sun – Entretenimento

  1. Pingback: Cruzeiro à Patagônia, com esticada a Santiago, Mendoza e Buenos Aires: índice da viagem | Idas e Vindas - Crônicas de Viagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *