Saboreando Montevidéu

Minhas idas recentes a Montevidéu foram, por assim dizer, passagens-relâmpago. Não cheguei ainda a fazer várias atividades que pretendo fazer em uma próxima vez, como a visita guiada ao Teatro Solis ou uma escapada a uma vinícola, por exemplo.  Mas tenho tido a oportunidade de experimentar alguns bons restaurantes… 😉

O restaurante Azzurro e sua vista para o "mar"

O restaurante Azzurro e sua vista para o “mar”

Um deles, que eu já conhecia da viagem de 2007, é o Azzurro, no Hotel Cala di Volpe. Fomos almoçar lá em abril, antes de seguir viagem para Punta. O ojo de bife fez bastante sucesso com o grupo…

A boa carne uruguaia

A boa carne uruguaia

E foi aqui que descobrimos, totalmente por acaso, o meu vinho favorito dos últimos tempos – o Tannat Viejo 2007 da Bodega Stagnari. Uma perfeição! 😀

Tannat Viejo 2007, da Bodega Stagnari

Tannat Viejo 2007, da Bodega Stagnari

Agora em agosto também tive a chance de ir a ótimos restaurantes. O primeiro deles foi uma dica que o JB deixou lá n’O Descobrimento da América +, o Francis, pertinho do nosso hotel em Punta Carretas.

O restaurante Francis, em Punta Carretas

O restaurante Francis, em Punta Carretas

O restaurante é mesmo uma delícia – o ambiente é lindo, super transado e aconchegante…

Muito aconchegante esse ambiente!

Muito aconchegante esse ambiente!

E a comida não fica atrás – deliciosa!

A famosa merluza negra

A famosa merluza negra com molho de beringelas e azeite

Um suculento lomo ao vinho e gorgonzola

Suculentos medalhões ao molho de jerez, gorgonzola e sálvia

Os preços são mais altos do que os que encontramos em Buenos Aires, mas compatíveis com os que vemos por aqui, ou seja, a festa montevideana acaba sendo um pouco mais comedida do que a festa vibana… :mrgreen:

Um outro restaurante que me encantou foi o Ricci, também a poucos minutos a pé do hotel, na Calle Joaquín Nuñez, em Punta Carretas. O casarão pintado em um tom de uva maravilhoso chamou a minha atenção desde a primeira vez em que passei por ele de táxi.

O restaurante Ricci, em Punta Carretas

O restaurante Ricci, em Punta Carretas

O interior também é de muitíssimo bom gosto…

O Ricci

O lindo interior do Ricci

Descobrimos lá que o casarão funcionava como um pequeno hotel-boutique até certo tempo atrás.

Noite de domingo - o Ricci ainda vazio

Noite de domingo – o Ricci ainda vazio

Como teriamos que acordar no meio da madrugada para tomar o vôo de volta para casa, achamos melhor não pedir vinho.

Sempre Patricia... ;-)

Sempre Patricia… 😉

A sopa de cebola que pedimos de entrada estava delicadíssima – e bem divertida, com uns toques de pimenta rosa…

A deliciosa sopa de cebola do Ricci

A deliciosa sopa de cebola do Ricci…

E o ravioli de abóbora, impecável!

E o excelente ravioli de abóbora

… e um excelente ravioli de abóbora!

O Ricci regula em preço com o  Francis – proporcionalmente, aliás, acho que é até um pouco mais caro. Nossa conta foi um pouco mais baixa, mas não tomamos vinho nem pedimos sobremesa… Não é nada fora do padrão brasileiro – apenas, como eu disse acima, não se compara aos preços super baixos que encontramos em Buenos Aires… 😉

14 thoughts on “Saboreando Montevidéu

  1. Pingback: Viajando na Blogosfera: América do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *