Dia 4, 29/12 – Fátima e Coimbra, a caminho do Porto

O verdadeiro sentido

Logo de manhã, fomos à Hertz da Rua Castilho, em Lisboa, buscar o carro que tínhamos reservado para a nossa viagem ao Porto. Escolhemos ir de carro para poder visitar duas cidades ao longo do caminho: Fátima e Coimbra. Saímos de Lisboa pela A1 e viajamos cerca de 1 hora até chegar a Fátima.

Capelinha das Aparições

Fátima tornou-se um ponto de peregrinação importante para a religião católica devido à aparição de Nossa Senhora às crianças Lúcia, Francisco e Jacinta, em 1917.

A Esplanada em um dia com poucos peregrinos

A Esplanada da Basílica de Fátima é duas vezes maior do que a Praça de São Pedro, no Vaticano. Os dias de maior movimento são 13 de maio e 13 de outubro, quando são comemoradas as aparições da Virgem Maria às 3 crianças pastoras.

Basílica de Nossa Senhora de Fátima

Muitos dos peregrinos que visitam Fátima atravessam a Esplanada de joelhos em agradecimento às graças recebidas.

Outro ângulo da Basílica

Chegamos ao Santuário pouco depois das 11 h, quando estava sendo celebrada uma missa na Basílica, que estava completamente lotada. Ficamos alguns minutos assistindo à cerimônia e, logo após, partimos para Coimbra.

Reitoria da mais antiga universidade de Portugal

Coimbra é hoje uma cidade bastante grande, mas o nosso foco de atenção era a Cidade Alta, a parte histórica onde está situada a Universidade de Coimbra, a mais antiga de Portugal.

Detalhe de azulejaria portuguesa

Nos pátios internos da universidade encontramos vários exemplares da magnífica arte da azulejaria portuguesa.

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Como não poderia deixar de ser, precisei registrar a minha  passagem por uma das Faculdades de Letras mais importantes do mundo… 😉

A Sé Velha de Coimbra

Continuamos o nosso passeio “nos perdendo” pelas ruas labirínticas da Cidade Alta. Um dos belos pontos que encontramos pelo caminho foi a Sé Velha de Coimbra.

Os labirintos da Cidade Alta

Várias das casas situadas nas ruelas da Cidade Alta abrigam repúblicas de estudantes desde a Idade Média.

Café Sé Velha

Logo tivemos mais uma grata surpresa: o Café Sé Velha, onde entramos para pedir informações e ficamos impressionados não apenas com o charme do seu interior, mas também… com a vitrine de doces! 😉

Pastel Tentugal – o doce típico de Coimbra

Provamos ali os Pastéis de Tentúgal, um doce típico da cidade de Coimbra, feito com uma massa folhada  finíssima e recheio de ovos (pra variar…)

Limite entre a Cidade Alta e a Cidade Baixa

Continuamos a descer pelo trecho conhecido como “Quebra-costas” até o Arco de Almedina, erguido no século XII pelos árabes.

O Arco de Almedina

O Arco de Almedina marca a entrada da Cidade Antiga. Vários estudantes fazem o seu percurso através deste arco, o menor caminho para se chegar da Cidade Baixa à Universidade.

A Cidade Baixa – do outro lado do Arco

Ao atravessar o Arco, nos deparamos com a Coimbra moderna. Tomamos então o nosso caminho de volta à Cidade Alta para pegar o carro e prosseguir a viagem.

Fizemos uma viagem tranqüila ao longo do dia, mas a nossa chegada ao Porto foi caótica. Estávamos sem GPS, chegamos na hora do rush e a sinalização de entrada na cidade é ineficiente para os turistas – uma vez na parte turística, entretanto, a sinalização é bastante boa.

O Café Majestic

Para amenizar o stress da chegada, fomos nessa mesma noite ao Café Majestic, o mais tradicional da cidade do Porto.

O ambiente aconchegante do Majestic

Inaugurado em 1921, o Café sempre foi palco de debates de idéias políticas e ponto de encontro da aristocracia local.

Francesinha – um dos pratos típicos do Porto

Escolhemos o Majestic para provar uma das iguarias típicas locais – a francesinha, um sanduíche recheado com carne, lingüiça e fiambre, coberto com queijo gratinado e servido com um molho de tomate  levemente picante, acompanhado de batatas fritas. Foi um manjar dos deuses!  (Com certeza, a francesinha do Majestic é a mais cara da cidade – mas valeu cada “cêntimo” de euro… 😉 )

E brindamos a mais um dia da VAM!

12 thoughts on “Dia 4, 29/12 – Fátima e Coimbra, a caminho do Porto

  1. Oi, Carlinha.

    Legal acompanhar o trajeto de vcs online.

    Estou lendo a saga quase que diariamente e contando os dias que faltam até 2 de fevereiro.

    Um Feliz Ano Novo e ótima continuação da VAM para voces.

  2. Muito legal acompanhar sua VAM quase que ao vivo aqui pelo Idas e Vindas

    Mal posso esperar para ve suas impressoes sobre Cingapura… Aproveitem bastante 😉

  3. Oi Carla,

    Que legal a sua VAM quase ao vivo. Adorei rever estes lugares com voces. Tenho um irmão que vive no Estoril e fui a Portugal algumas vezes, mas sempre que leio um relato sobre a terrinha descubro alguma coisa legal para fazer na próxima visita ao maninho.

    Ótima viagem a voces. Bjs

  4. To adorando acompanhar!!! Espero que continue postando a VAM.

    E já que estamos falando de Portugal…gostou dos hotéis? Deu tudo certo? To pensando em reservar os mesmos…

    Bjos

  5. Queridos, vamos procurar manter os relatos da VAM o mais atualizados possível. Se falharmos, provavelmente é porque estamos hospedados em um hotel sem acesso gratuito… 😉

    Carlinha, nós achamos a localização dos hotéis de Portugal excelente. Mas vale conferir o CS Vintage, onde o Riq ficou, bem ao lado do Ibis, e que parece bem melhor. (Mas se você optar pelo Ibis, vale a pena tomar o café da manhã, que é muito bom.) O Mercure do Porto é TUDO DE BOM! 😉

  6. Carla,

    Também estou curtindo acompanhar seu diário de bordo! Tiro o chapéu para a sua disciplina em blogar durante a viagem. A propósito, que viagem gastronômica, heim? 😉

    Beijos

  7. Fabíola, estamos procurando caprichar nas comidinhas que escolhemos para postar… 😉

    Carlinha, mande notícias dos preparativos, Ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *