Piccolo Hotel – Kuala Lumpur, Malásia

Em Kuala Lumpur, o hotel em que nos hospedamos foi o Piccolo, que encontramos no Booking a US$ 60.85 a diária do quarto duplo, para pré-pagamento, com as taxas incluídas, mas sem café da manhã. O custo do café da manhã, caso se queira pagar à parte, é de US$ 15 por pessoa.

Piccolo Hotel – um achado em Kuala Lumpur
Entrada do Piccolo Hotel, em uma rua lateral da Bukit Bintang
Detalhe na entrada do hotel

No entanto, o fato de que o café da manhã não está incluído na diária acaba não fazendo muita diferença, já que o hotel está muito bem localizado em uma das principais avenidas da área turística da cidade, a Bukit Bintang. A 3 minutos de caminhada está o shopping Pavilion, que tem, em seu subsolo, inúmeras opções de restaurantes e lanchonetes, além de um supermercado.

Quarto limpo e claro

O nosso quarto, especificamente, era um pouco barulhento porque ficava de frente para a avenida, que é bastante movimentada, tanto durante o dia quanto à noite. Isso, no entanto, não chegou a nos incomodar…

Quarto pequeno mas funcional

Um dos pontos altos do hotel era a Internet banda larga gratuita.

Pia no quarto…
… e banheiro desmembrado…

Achamos interessante a opção de se fazer um banheiro triplo, o que otimiza o tempo quando se compartilha um quarto.

Dia 14, 08/01 – Kuala Lumpur

Bukit Bintang

No nosso segundo dia em Kuala Lumpur, decidimos continuar explorando a cidade a pé. Seguimos na direção oposta à que havíamos tomado no dia anterior, e caminhamos rumo a Chinatown.

Chegando a Chinatown
Chinatown
Restaurante em Chinatown
Restaurante em Chinatown

Um dos pontos turísticos mais importantes da Chinatown de KL é o Mercado Petaling, na Jalan (rua) Petaling.

Jalan Petaling – entrada do mercado

Como em toda Chinatown, encontra-se todo tipo de objetos à venda, desde tecidos, calçados, bolsas, eletrônicos (como dizíamos, produtos originários das “lojas de fábrica” do Sudeste Asiático 😆  )…

Mercado da Jalan Petaling

… até produtos alimentícios que abastecem a população local.

Mercado da Jalan Petaling

Continuamos nosso caminho até o Templo Chan See Shuy Yuen. Naquele dia, acontecia ali um bazar, o que não nos motivou a permanecer por muito tempo.

Templo Chan See Shu Yuen – Chinatown

Durante a nossa breve visita, porém, tivemos a oportunidade de observar a riqueza de detalhes do templo nas luminárias, colunas e alvenarias.

Detalhe do templo
Detalhe do templo
Outro ângulo do templo
Templo Chan See Shu Yuen

Nossa próxima parada foi o Mercado Central. Assim que o avistamos, nos impressionamos com a beleza das cerejeiras que decoravam a entrada. Ficamos surpresos ao constatar, quando as tocamos, que se tratavam de  cerejeiras artificiais, tal era a beleza e a delicadeza do trabalho.

Mercado Central
Mercado Central

Do Mercado Central seguimos então para o nosso próximo destino: a Praça Merdeka (sem risos, por favor… 😆 )

Prédio no entorno da Praça Merdeka

Como disse o JB, em um dos seus posts sobre KL, a Praça Merdeka, “apesar do nome, é muito bonita.” No mesmo post, ele também explica que a praça foi o palco da independência da Malásia em 1957.

Muzium Tekstil Negara, ou Museu Têxtil Nacional, na Praça Merdeka
Sultan Abdul Samad Building, na Praça Merdeka
Praça Merdeka
Praça Merdeka
Fonte na Praça Merdeka
Dataran Merdeka РPra̤a Merdeka
Royal Selangor Club, na Praça Merdeka
Catedral de St. Mary, Igreja Episcopal/Anglicana na Praça Merdeka

É fascinante estar em plena praça e poder, ao olhar em volta, vislumbrar diversos estilos arquitetônicos representados em conjunto.

Entorno da Praça Merdeka

Como já estávamos no meio da tarde e, entretidos no passeio, ainda nem tínhamos almoçado, começamos o nosso caminho de retorno, passando por Little India. Ao contrastá-la com a Little India de Cingapura, tivemos a impressão de que a de Kuala Lumpur era menos “turística”…

Jalan Masjid India, Little India

Em um determinado ponto do caminho, como não poderia deixar de ser, as onipresentes Petronas surgiram no horizonte.

As Petronas surgindo de repente na paisagem…

Ao longo do percurso, tivemos várias oportunidades de comprovar o quanto a cidade é bem sinalizada e amigável ao visitante estrangeiro.

Ótima sinalização

Fizemos então, já perto do hotel, uma merecida parada para o almoço, que, nesse dia, praticamente se confundiu com o jantar… Por estarmos em um país muçulmano, escolhemos, nesse dia, homenagear um outro país muçulmano através da sua culinária: o Marrocos.

Tajine – restaurante marroquino na Bukit Bintang
O interior do Tajine

Escolhemos duas saladas e dois pratos principais para compartilhar. O que muito nos chamou a atenção foi que a tajine de frango com limão, que no Marrocos vem acompanhada de batatas cozidas, foi servida com batatas fritas…

Nosso almoço / jantar no Tajine
Paulinho e Carla no Tajine

À noite, resolvemos ficar no bar/restaurante do nosso próprio hotel, o Piccolo Mondo. Sentamos em uma mesa na calçada, de onde podíamos observar todo o movimento dos transeuntes – e que movimento!!! 😉

Piccolo Mondo

Pedimos um drink cada para celebrar a nossa estada em Kuala Lumpur, uma belíssima cidade que muito nos surpreendeu!

Coquet̩is no Piccolo Mondo Рadeus Kuala Lumpur!