Fundo do baú: Thousand Islands

Continuando a série “Fundo do Baú”…

Thousand Islands (fotos: outubro 1997; texto: outubro 2004)

No dia seguinte, deixamos o hotel de Toronto com destino a Ottawa e direito a duas paradas ao longo do caminho. A primeira foi em um restaurante / casa de chá super charmoso, chamado “Big Apple”. Motivo do nome: praticamente tudo o que se servia no lugar era feito de maçã! Chás, bolos, tortas, strudels, cada delícia melhor do que a outra… No jardim do Big Apple eu encontrei essas placas, com a distância daquela localidade em relação a diversas cidades ao redor do mundo. Talvez não dê para ver bem, mas a plaquinha Rio de Janeiro marca 7581 km. É, isso já é estar longe de casa…

“Tour guide”, diz o crachá. Ué, e todo mundo pensando que a Carla foi ao Canadá como turista!!! Não, eu não mudei de profissão antes de viajar… (Pequeno lapso totalmente freudiano: eu disse que “turista” é a minha profissão? Só eu mesma… Quem dera!) Mas em excursão de brasileiros (eca…) tudo pode acontecer, inclusive a turista virar guia de repente! Fomos fazer um passeio de barco pelas Thousand Islands, ou Mil Ilhas. Como o grupo era grande, tivemos que nos separar em 2 barcos. Acontece que os grupos não podiam viajar desacompanhados do guia – e o coitado do Fernando, o guia, não podia obviamente estar nos 2 barcos ao mesmo tempo. A essa altura ele já sabia que eu falo inglês e que ainda arranhava um pouco de francês. Resultado: ele imediatamente tirou um coelho da cartola, ou melhor, um crachá do bolso – e botou no meu pescoço. Minhas responsabilidades se resumiam a traduzir tudo o que a tripulação do barco precisasse dizer ao grupo, o que só seria crítico em caso de emergência. Sacrifício nenhum, e muita diversão…

Essa é a típica paisagem da região das Mil Ilhas. Não sei se são mesmo mil as ilhas, mas essa parte do Rio São Lourenço – outro marco de fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos – é repleta delas, pequenas e grandes, algumas habitadas, outras não, todas lindas…

Nessas regiões de fronteira, os limites entre um país e outro são sempre noções meio nebulosas… A fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos está bem no meio do Rio São Lourenço, o que leva a curiosidades como essa ponte, considerada a menor ponte internacional do mundo. É que a ilha maior fica no Canadá e a menor, do outro lado da fronteira, nos Estados Unidos… Leva ou não a pensar que as fronteiras mais unem do que separam?

04. Coração

Heart Island recebeu esse nome por um motivo bem óbvio – ela tem o formato de um coração. Por conta disso, era mesmo de se esperar que ela se tornasse personagem de alguma história de amor, e foi o que aconteceu. A ilha virou presente de casamento – um milionário decidiu comprá-la e oferecê-la de presente à esposa no dia do casamento… Que presentão!!!

Mais uma ilha linda entre as Mil Ilhas. Para justificar tanta beleza, há uma lenda que diz que pétalas de flores caíram do céu e se espalharam no rio, dando origem às ilhas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *