Fundo do baú: Toronto

Em meio aos preparativos para a minha viagem ao Canadá em abril próximo, me bateu uma nostalgia da primeira vez em que estive lá, em 1997… Alguns anos depois, cheguei a registrar a viagem no meu Fotolog ( 😯 😯 😯 ), o primeiro Idas & Vindas, precursor do blog… Daí que, em meio à sessão nostalgia, resolvi resgatar as fotos de lá e transformar as velharias (memórias, Carla, memórias…) em posts aqui… 😉

Começo a sessão-resgate por Toronto, então. Fotos e palavras foram copiadas de lá e coladas aqui fielmente!

Toronto (fotos: outubro 1997; texto: setembro 2004)

1997. Ainda havia a bendita, mesmo que ilusória, paridade do real com o dólar. E eu, tendo chegado da viagem aos EUA em fevereiro, decolei de novo em outubro rumo ao Canadá – dessa vez sem a Cláudia. Fui com duas amigas, a Maria Lúcia e a Denise, que também levou a mãe.

Minha proposta sempre é viajar da forma mais independente possível. Gosto de estar em contato com as pessoas do lugar e com outros viajantes, e abomino a idéia de ver o mundo pela janela de um ônibus de turismo. Sem andar a pé, pegar ônibus ou metrô, entrar em um mercado, experimentar comidas típicas e me misturar aos habitantes do local, fico com a sensação de que na verdade não conheci o lugar. Como disse a Denise, “se vou passar 4 dias em Toronto, quero ter a sensação de que morei aqui 4 dias.” Mas dessa vez, a Maria Lúcia encontrou uma promoção imperdível em uma excursão – então, jogamos parte dos princípios pela janela e decidimos encarar.

Cheguei a Toronto em um dia de calor, o que me deu uma primeira impressão do Canadá bem diferente daquela que eu esperava ter… Logo de cara, fomos fazer um city-tour, o que é, na minha opinião, a pior forma de se conhecer uma cidade, principalmente depois de 10 horas de vôo!!! Mas tudo bem – passado o choque inicial, eu e as meninas demos um jeito de driblar o povo da excursão e gozamos de uma relativa independência.

Aqui estou eu, então, em frente à antiga prefeitura de Toronto, a primeira parada do nosso city-tour…

02. Assembléia

Achei os prédios históricos de Toronto apaixonantes – além de lindos, são super bem cuidados. Como tudo por lá, aliás… Esse é o prédio do Town Council, em pleno Queen’s Park. O dia estava lindo, com esse céu azul desafiando a previsão da meteorologia… E eu morrendo de calor porque tinha acreditado!!!

O BCE Place não é um edifício como os outros… Primeiro, porque o seu subsolo é interligado ao subsolo de vários outros edifícios e até à rede de metrô, formando uma verdadeira cidade subterrânea, com lojas, bancos, restaurantes – uma solução e tanto para escapar do frio que, no inverno, chega a muitos graus abaixo de zero. Mas o mais interessante, na minha opinião, é que, em nome da preservação do patrimônio histórico, o BCE foi construído ao redor do antigo prédio da Câmara de Comércio, ou seja, dentro desse lobby de chão de granito e teto de vidro há um prédio inteiro – um prédio de verdade!!!

Londres tem o Big Ben; Paris tem a Torre Eiffel; Nova York, o Empire State Building; o Rio, o Corcovado. Toronto tem a CN Tower, o principal cartão postal da cidade – uma torre de mais de 500 m de altura, onde se sobe por um elevador panorâmico. É uma viagem, literal e figurativamente!

05. Chão de Vidro

Pisar no chão de vidro da CN Tower é uma experiência muito esquisita… Estamos a mais de 500 m de altura, e, como assim, o chão é feito de vidro?!!! Diz a razão que aqueles vidros são especiais, inquebráveis, feitos para suportar peso… Mas a velha sensação de desenho animado, aquela de estar pisando no vazio, não me deixava… Aos pouquinhos fui me animando, botei um pé no vidro, fiz a foto, depois troquei de pé, fui pisando pelas beiradas… Mas e a idéia de que a qualquer momento eu ia despencar lá de cima e cair bem no meio do gramado do Skydome, lá embaixo?!!! Durou mais alguns segundos, em que eu continuei me ambientando. Pouco depois, passado o temor (ou a prudência) inicial, eu já estava feliz da vida passeando pra cima e pra baixo (sem trocadilho, por favor), pelo bendito chão de vidro, como se estivesse caminhando no nada, vendo a cidade do alto. Uma experiência imbatível, pra não esquecer – e, se possível, pra repetir um dia!!!

Um postal do skyline de Toronto à noite – não só para mostrar a beleza da cidade, mas também para dar uma noção da altura da CN Tower. A construção arredondada ao lado é o Skydome, o estádio que se vê pelo chão de vidro no alto da torre.

A Front Street é uma das mais movimentadas de Toronto – e é interessante notar que isso significa apenas agitação, não bagunça ou caos. Esse prédio histórico lindo do outro lado da rua é o Royal York Hotel, o mais bonito e luxuoso da cidade – infelizmente não era lá que eu estava hospedada… 🙂

Eu, com a Maria Lúcia e a Denise, minhas companheiras de viagem e de fugas dos turistas da excursão… Aqui estamos em frente à Casa Loma, esse castelinho ao fundo, uma das atrações mais interessantes de Toronto.

Mais um postal. Essa é a Casa Loma, um verdadeiro castelo em plena Toronto, obra de um milionário (excêntrico, sem dúvida), apaixonado pela arquitetura espanhola. Sempre me perguntei se a única razão para essa extravagância seria apenas a arquitetura, porque não conheço direito essa história – nem as fofocas… 🙂

09. Hard Rock Café

Fim de tarde, depois de muito caminhar desbravando Toronto e visitando muitos lugares interessantes… Uma pausa no Hard Rock Café para um merecido descanso, saboreando alguns petiscos e provando uma inusitada cerveja de fabricação canadense…

3 thoughts on “Fundo do baú: Toronto

    • É engraçado que o blog acaba tendo mesmo essa função de preservar as nossas lembranças, né? É super útil para quem consulta, mas é muito mais útil pra gente mesma…

      Eu adorava meu cabelinho curto, Mari! Mas deixar crescer é tão chato… 😉

  1. Pingback: Idas e Vindas – Viagens e Aventuras » Roteiro Canadá: nove dias na Costa Leste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *