Cuzco – o city tour II


Após alguns minutos a bordo do ônibus, fizemos a primeira escala prevista no roteiro do nosso city tour – o Convento de Santo Domingo. Visto por esse ângulo, o Convento de Santo Domingo não difere em nada de tantos outros conventos fundados pelos espanhóis em suas colônias sul-americanas. Santo Domingo, entretanto, guarda uma caracterí­stica especial – foi construí­do sobre e ao redor das ruí­nas de Qoriqancha, o Templo do Sol.

Ao construir seus templos sobre as bases dos templos incas (pois isso não ocorreu apenas em Qoriqancha – outras igrejas de Cuzco também têm bases incas…), os espanhóis pretendiam calar manifestações religiosas nativas e demonstrar a força de sua cultura sobre a cultura indí­gena. Chega a ser bastante irônico, então, quando se vê que as bases sobre as quais os espanhóis assentaram os seus templos foram construí­das segundo uma engenharia bem mais avançada do que a utilizada por eles próprios na época…

Na primeira foto, as pedras se encaixam com perfeição, sem necessidade de qualquer tipo de argamassa; na segunda, se amontoam sem critério e, não fosse pela argamassa, não configurariam nenhum tipo de construção… 😉 Qual é inca e qual é espanhola? As apostas estão abertas…

Nossa segunda parada foi em Sacsayhuaman. Infelizmente minhas fotos não fazem jus à grandiosidade do lugar… (Na verdade, eu fiz um filminho – mas ventava tanto e fazia tanto frio que o tal filminho ficou parecendo um registro amador de um terremoto em Sacsayhuaman… 😆 )

A escala seguinte foi Puka Pukara…

… de onde a vista era linda:

Seguimos então para Tambomachay – mas já começava a escurecer… (Talvez optar pelo city tour de manhã seja mais proveitoso!)

Chegamos por fim a Q’enqo, ainda a tempo de percorrer o interior das cavernas:

Fizemos ainda uma última parada estratégica e pudemos ver o início do anoitecer em Cuzco. Quem diria que a capital Inca é hoje uma cidade tão grande?

Para terminar, sugiro uma visita ao post que o Arthur escreveu sobre esses mesmos sí­tios arqueológicos, lá no Agora Vai. O texto do Arthur está riquí­ssimo em informações – e as fotos estão um espetáculo! 😉

12 thoughts on “Cuzco – o city tour II

  1. Carla, como deixei esse roteiro para julho 2009, vou fazendo as minhas anotações, quando você fechar com aquele resumo supra sumo, já começo a checar hotéis e passeios. Passei no Agora vai e anotei algumas dicas. Valeu!

  2. Rosa, até o fim dessa semana eu espero completar a novelinha – e assim que voltar de Bs.As., no outro sábado, vou trabalhar naquele balanço geral com todos os serviços!

  3. Carla, pelo que estou vendo, todo city tour em Cuzco durante a tarde é meio corrido. Nós chegamos em Tambomachay quando já não se enxergava mais nada!

  4. Carla, obrigado pelo link! De fato, acho que o city tour deve ser feito de manhã mesmo, conosco ocorreu o mesmo problema de chegar nas últimas ruí­nas de Puka Pukara e Qenqo e já estar tudo escuro…
    PS: estou vendo que agora vc termina a odisséia sobre o Peru, com essa sucessão de posts!

  5. Arthur, eu estava pretendendo terminar a novela ainda essa semana, mas tenho alguns posts sobre Lima na manga e não sei se vou dar conta de publicar hoje e amanhã… Talvez eu deixe para a outra semana, depois que voltar de Bs.As.!

  6. Pingback: Bolívia e Peru – o índice da viagem » Idas e Vindas

  7. Pingback: Blog do Márcio d'Ávila » Peru 2010 – Volta ao Cusco em um Boleto Turístico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *