Buenos Aires – novas e antigas impressões

Pois é, eu vou interromper a novelinha peruana mais uma vez, agora porque não gostaria de perder o calor do momento para fazer certos comentários a respeito da semaninha que passei em Buenos Aires, de 19 a 26 de julho… Mas assim que eu terminar esses postzinhos, que serão curtos e poucos, volto com a parte final da novelinha, sobre os dias que passei em Lima.

Quanto a Buenos Aires, sempre que volto à cidade me pergunto: como é possível que cada vez mais eu deixe mais coisas por fazer? Eu pensava que com uma semana inteira daria conta de fazer muito do que queria, mas já estou achando que nem com um mês inteirinho isso vai ser possível…

De qualquer forma, tirei algumas conclusões básicas nesses dias que passei vibaneando – depois desenvolvo melhor os devaneios (“vibaneios”? 😆 )

1. Alugar um apartamento é mesmo uma ótima pedida – testei e aprovei! Se não for para ficar no Alvear, não quero mais saber de hotel por lá, não… 😀

2. A inflação está comendo solta na Argentina – ainda não pesa no nosso bolso porque o real está forte, mas já vemos os efeitos nos preços dos táxis, dos restaurantes, do cafezinho… 🙁

3. O trânsito está infernal, e piora a cada dia! Coloquei na minha lista de prioridades, quando escolher um apartamento, a proximidade de uma estação de metrô.

4. A Librería El Ateneo Grand Splendid está a cada dia mais deliciosa – que tal uma happy hour com música ao vivo? 😀

5. Quem se hospeda em um apartamento na Recoleta não precisa fazer nem mesmo o café da manhã em casa. Dá pra montar todo um roteiro de cafés da manhã deliciosos sem repetir nem um dia – a não ser que se esbarre com um daqueles absolutamente maravilhosos…

6. Sempre foi e continua sendo possível ser feliz no Café Tortoni – mas tem um modo confortável “de usar”… Depois eu conto! 😉

7. Quem vai ver tango no Bar Sur dificilmente voltará a gostar de qualquer show de tango em outro lugar – nada como um pouquinho de interação e exclusividade para encantar a platéia!

8. San Telmo está a cada dia mais faceiro – há tapumes por todo lado, por conta das restaurações, mas o bairro está explodindo de tanta vitalidade. “San Telmo es el nuevo Palermo”, é o que se diz…

9. O Freddo continua maravilhoso, os Havanna são imbatíveis, a Bonafide segue me dando água na boca, os livros da Yenny estão sempre à minha espera e…

10. … não tem jeito! Por mais que eu tente, eu não consigo mesmo gostar de Palermo!!! Mas estou decidida a ir a pelo menos um restaurante a cada vez… 😳

65 thoughts on “Buenos Aires – novas e antigas impressões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *