Bailando no Bar Sur

Ano passado, quando tinha acabado de voltar do périplo pelo Uruguai, com direito a uma esticada em Buenos Aires, eu fiz um apanhado geral das minhas experiências com shows de tango – entre hollywoodianos, tradicionais, inovadores e teatrais, eu achava que tinha provado de tudo um pouco…

Esse ano descobri que estava redondamente enganada… É verdade que eu tinha provado várias pitadas de tango, e que sempre procurava locais que fossem bem diferentes uns dos outros, para não ter aquela impressão de estar vendo coisas repetidas. Nunca tive a pretensão da “autenticidade” – êta palavrinha perigosa! A mim sempre bastou um espetáculo de bom gosto, artí­stico e bem produzido. Mas foi só quando conheci o Bar Sur que eu descobri o quanto um “show” de tango pode ser intimista, poderoso e absolutamente divertido, tudo ao mesmo tempo. Eu disse “show”? Não, o Bar Sur é uma festa!!!

A dica não é minha, nem é nova. Quem eu ouvi falar no Bar Sur pela primeira vez foi o Riq, desde os primórdios do Viaje na Viagem. Sempre que alguém perguntava onde ir ver tango em Buenos Aires, ele disparava: “Bar Sur!”

O Bar Sur é a casa de tango mais antiga de Buenos Aires. Fica em San Telmo, na esquina da Balcarce com a Estados Unidos, um recanto muito pitoresco que nos transporta imediatamente ao passado. Mas quem vai ao Bar Sur esperando assistir a mais um show de tango se surpreende, porque nada lá lembra os shows que se pode ver em outras casas… No Bar Sur não há, por exemplo, o básico: um palco! Os músicos – três apenas, perfeitos – ocupam o fundo do salão.

IMG_3487

As mesas ficam dispostas nas laterais – uma fileira ocupa a parede e a outra a frente do bar. Os bailarinos dançam no espaço (exí­guo, sim, mas suficiente) entre as mesas:

IMG_3467

E o resultado dessa receita para o desastre… é a mais absoluta perfeição!!! Inacreditável…

O espetáculo é ininterrupto, ao longo de todo o perí­odo de funcionamento da casa, ou seja, das 20:00 às 02:00 h, todos os dias. Não sei se é necessário, mas eu acho aconselhável fazer reservas, pois o salão não comporta mais do que umas 10 mesas – o que significa que, em dias de lotação esgotada, o público deve consistir em umas 20 pessoas ou pouco mais… No dia em que fomos, o público era pequeno mas eclético: eu e a minha tia Célia; duas moças de São Paulo, a Solange e a Cristina; um casal inglês; e uma famí­lia espanhola, de Málaga – com uma menininha de uns 8 anos de idade que se divertiu a valer, cantando e dançando até altas horas!

IMG_3480

Ah, sim, é importante dizer que o espetáculo é participativo. Isso significa que não faltam oportunidades para o respeitável público revelar seus talentos artísticos (ou nem tanto…) As cantoras oferecem o microfone sempre que a música é mais conhecida, e mesmo os mais tímidos acabam entrando na brincadeira.

IMG_3476

IMG_3471

Sempre que um número de dança termina, os bailarinos (que são, todos, também professores de dança) convidam as pessoas para dançar. Eu achei uma delícia: cantei, dancei, depois cantei de novo, dancei de novo, já estava até achando que iam me oferecer um emprego… 😉

Viagens-B Aires- 2008 050

Foi a noite de tango mais divertida da minha vida. Foi também uma das mais caras – o show em si está na média de preço, 180 pesos. Mas o item mais barato do cardápio, uma garrafinha de água mineral, custa 20 pesos. Uma garrafa de vinho simplesinho, tipo um Los Alamos, sai a 90 pesos. É carí­ssimo, sem dúvida. Mas quem vai por acaso reclama? De jeito nenhum!!! Digo e repito: é o preço da exclusividade. Não vejo outro modo de sustentar um show de tanta qualidade com um público tão limitado a não ser com preços altos. E digo mais: eu pagaria tudo de novo, valeu cada centavo! 😀

Viagens-B Aires- 2008 036

Lá mesmo eu decidi: não quero mais experimentar outro show. Provavelmente vou virar freqüentadora assí­dua do Bar Sur, vou voltar todas as vezes em que for a Buenos Aires. E agora que tomei o gostinho, umas aulinhas de tango viriam bem a calhar… (Mais um item pra minha listinha de coisas a fazer quando terminar o doutorado!!!)

Para ler um pouco mais sobre o Bar Sur, clique aqui:

A Turista Acidental: a Emí­lia também se divertiu muití­ssimo passando uma noite no Bar Sur;

Vem Comigo: o Breno B. foi outro que aprovou!

E para ler um pouco mais sobre tango no Idas & Vindas, clique aqui.

4 thoughts on “Bailando no Bar Sur

  1. Carla
    Não sei se vc verá este comentário, mas a sua dica de aluguel em Buenos Aires foi preciosa p/ nós. Estivemos em BA na primeira semana de abril/2009 e, segundo sugestão sua, alugamos um studio mt bom na Recoleta (Juncal com Liberdad), através da ByT Argentina. A experiência foi sensacional e totalmente aprovada.

  2. Pingback: Esquina Carlos Gardel » Idas e Vindas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *